Artigo
A depilação a laser realmente acaba com os pêlos?
::: 10/06/2003

O termo correto deve ser redução definitiva dos pêlos. O que ocorre é que os pêlos vão ficando cada vez mais fino e claros, mais aceitáveis esteticamente, mas difíceis de serem totalmente exterminados.

Quanto mais escuro e grosso o cabelo, mais ele puxa a luz do laser para dentro do folículo até a matriz do pelo, destruindo-a pelo calor. Portanto, o cabelo escuro é como um pára-raio, captando essa energia. Se o cabelo for muito fino ou claro, não vai haver captação. Portanto, após vários procedimentos, quando o cabelo já estiver muito fino e claro, a eficácia do método diminui.

A grande novidade no momento é o Meladine, produto americano que deve ser lançado no Brasil, mas que já pode ser comprado por lá. O produto é aplicado na região de pêlos brancos ou muito claros 15 dias antes do tratamento para pigmentar a matriz do cabelo, que será então destruída.

A eficácia de todos os laseres existentes no mercado é praticamente igual. O que varia é a percepção da dor no paciente: os tratamentos com laser que tem sistema de congelamento dinâmico doem menos, possibilitando a depilação em grandes áreas como perna e tronco, em pouco tempo.

É muito importante que mulheres que têm muito pêlo passem por uma avaliação hormonal, já que desequilíbrios hormonais, como o que ocorre na Síndrome dos Ovários Micropolicísticos, produzem hormônios masculinos responsável pelo aparecimento de novos pêlos no corpo feminino. Assim, a paciente que sofre desse distúrbio faz a depilação e não vê resultados: na verdade, o pêlo tratado é reduzido em número e espessura, mas aparecem pêlos novos, dando a impressão de que o tratamento não foi eficiente.

O número de sessões varia com a cor da pele: quanto mais clara a pele e mais grosso o pelo, mais energia pode ser usada, o que garante um resultado melhor na área a ser depilada - pernas e virilhas, por exemplo, respondem muito bem ao tratamento. Pêlos do queixo e buço (bigode) são os mais rebeldes, porque a matriz é mais profunda mesmo se a paciente não tem distúrbio hormonal. Nessas regiões, a eficácia do método depende de cada organismo.

De qualquer forma, o laser é um procedimento extremamente gratificante para aqueles que estão insatisfeitos com seus pêlos, em qualquer área do corpo, pois pelo menos durante um mês os pacientes se vêem livres deles. A pele fica mais lisa e o pêlo que nasce é sempre mais fino e mais claro. Vale a pena experimentar!


Cristina Mansur
é dermatologista, professora e chefe
da disciplina de Cosmiatria do Serviço
de Pós-Graduaçao em Dermatologia da UFJF.
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de dermatologia) você quer ler novos artigos nesta seção? A médica Cristina Mansur aguarda suas sugestões no e-mail mansur@jfservice.com.br

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.