• Assinantes
  • Saúde

    Artigo
    Reeducação alimentar: novos hábitos para emagrecer

    21/03/2001

    Entre os diversos fatores responsáveis pelo surgimento da obesidade, 25% são atribuídos à herança genética, 30% à transmissão cultural (relacionada a hábitos e práticas alimentares de origens regionais, étnicas, religiosas etc) e 45% se deve a fatores ambientais não transmissíveis (influência do meio onde o indivíduo nasce e se desenvolve), segundo alguns estudos recentes.

    Sendo assim, fica claro que nossos hábitos de vida e de alimentação são os maiores responsáveis pelo surgimento da obesidade, superando a predisposição hereditária que possamos trazer. Uma alimentação baseada em práticas inadequadas (excesso de massas e gorduras, baixo consumo de vegetais e frutas etc) aliada a uma vida sedentária resulta, fatalmente, em peso excessivo e saúde instável.

    Relação de calorias de alguns alimentos muito consumidos atualmente:
  • Bebidas
  • Carnes e embutidos
  • Biscoitos, Pães etc
  • Massas
  • Cereais, Farinhas
  • Preparações com carne
  • Sanduíches
  • Sobremesas, doces, balas, guloseimas
  • Cremes, molhos, temperos, óleos
  • Leite e derivados
  • Observações importantes
  • Diferença entre Diet e Light

  • Segundo estudiosos do assunto, os hábitos alimentares são formados logo nos primeiros anos de vida, sendo apenas consolidados nas idades subseqüentes. Sendo assim, é de fundamental importância cuidar para que a alimentação das crianças seja, desde os primeiros meses, adequada às suas necessidades e sem formar hábitos errôneos.

    Por exemplo, o uso de açúcar em sucos, vitaminas, mingaus etc deve se restringir a quantidades mínimas e só quando for realmente necessário; o mesmo se pode dizer do uso do sal e das gorduras (incluindo manteiga, margarina, óleo, azeite etc). Com isso, a criança desenvolverá um paladar mais sensível, não sentindo necessidade de grandes quantidades de açúcar, sal ou gordura em sua alimentação.

    É importante frisar que o açúcar e as gorduras são os principais componentes calóricos das refeições; o sal, embora não forneça calorias, estimula um consumo excessivo de certos alimentos, principalmente os que vêm adicionados de altas quantidades de gordura (salgadinhos, frituras etc).

    Mas, independente da idade que se tenha, práticas alimentares saudáveis devem sempre ser buscadas, mesmo quando já se tem hábitos extremamente prejudiciais há longo tempo.

    Aqui vão algumas dicas para quem quer melhorar seus hábitos alimentares para reduzir o peso ou mantê-lo dentro dos padrões adequados:

    • Reduza gradativamente a quantidade de açúcar que você adiciona a sucos, café, leite, vitaminas etc; com o tempo, poderá sentir necessidade de dispensá-lo de algumas preparações, como aquelas à base de frutas e leite, as quais já contêm o açúcar natural desses alimentos.

    • A mesma relação pode ser feita quanto à quantidade de sal, reduzindo a quantidade aos poucos, procurando sentir melhor o gosto dos alimentos.

    • Leve pequenas quantidades de alimentos à boca de cada vez (principalmente daqueles que você mais gosta e, por isso, tende a exagerar no consumo), procurando mastigar lentamente, sentindo bem o sabor de cada preparação.

    • As gorduras em geral (manteiga, margarina, maionese, óleos, azeite etc) também devem ser reduzidas (refogue alimentos com o mínimo possível de óleo) ou substituídas por outros alimentos de menor valor calórico. Exemplo: use iogurte no lugar de maionese para temperar saladas e requeijão para preparar patês.

    • Procure não fazer nenhum tipo de refeição (mesmo pequenos lanches) sem incluir algum alimento do grupo dos vegetais (legumes, verduras ou frutas). Esses alimentos, além de serem de baixo valor calórico, fornecem nutrientes essenciais, importantes para a manutenção do equilíbrio do organismo.

    • Não descuide da quantidade de água que você ingere durante o dia; a água também é um alimento e tem uma importante função reguladora no organismo, auxiliando, inclusive, no funcionamento dos intestinos.

    • Se você consome grande quantidade de massas, ou tem predileção por elas, cuidado com aquelas ricas em gorduras (massas de empadas, macarrão instantâneo, salgadinhos em geral, massas folhadas etc) ou açúcar (tortas etc). Dê preferência a massas e pães pobres em gordura e mais ricas em fibras (biscoito e pão integral, granola, macarrão integral etc).

    • Aumente sua atividade física, buscando praticar exercícios regularmente. Uma mudança de hábitos alimentares, aliada à prática de exercícios, é a maneira mais eficiente de se atingir o peso desejado.

    Cristina Garcia Lopes
    é nutricionista formada
    pela Universidade Federal de Viçosa.
    Saiba mais clicando aqui.

    Sobre quais temas (da área de nutrição) você quer ler novos artigos nesta seção? A nutricionista Cristina Lopes aguarda suas sugestões no e-mail nutricao@jfservice.com.br

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.