• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Barriguinha de chopp
    Tomar uma, de vez em quando, até vai, mas todos os dias
    com tira-gosto, não há boa forma que agüente


    Djenane Pimentel
    Repórter
    28/02/2005

    O nutricionista Arnaldo Pinheiro fala sobre os efeitos do consumo excessivo de cerveja e como evitar a armadilha dos tira-gostos! Ouça!

    Ouça!

    Foto ilustrativa "Hoje é sexta feira
    Chega de canseira
    Nada de tristeza
    Pega uma cerveja
    Põe na minha mesa"...

    (Leandro & Leonardo)

    Se o papo está bom e o dia está quente, nada melhor do que uma cervejinha gelada, não é mesmo? Mas, é preciso ter cuidado, porque, quando menos se espera, beber "socialmente", mas constantemente, pode trazer outros transtornos, além da temida barriguinha de chopp.

    Arnaldo Pinheiro Segundo o nutricionista desportivo, Arnaldo Hamilton Pinheiro (foto ao lado) tomar umas cervejinhas em um dia da semana, somente, não vai causar estragos no corpo de ninguém. Mas muitas, sim. Pior ainda se a pessoa costuma beber quase todos os dias.

    "O problema maior é que a cerveja sempre vem acompanhada de tira-gostos engordativos, ricos em gordura, como torresmo, linguicinha, salaminho, provolone, pastéizinhos, amendoins, churrasco... Isso agrava o aumento da oferta de calorias e, conseqüentemente, o aumento da barriga", alerta.

    Caloria vazia
    foto ilustração. Site www.abc.net.au A cerveja, apesar de possuir baixo teor alcoólico, é uma bebida fermentada que, quando consumida em excesso, leva à formação de gases com conseqüente distenção abdominal, dando origem à famosa e odiada "barriguinha".

    Como toda bebiba alcoólica, ela fornece calorias. E, de acordo com Arnaldo, são calorias vazias, sem nenhum nutriente para o corpo, como vitaminas e sais minerais.

    O nutricionista alerta que possuir a famosa barriguinha também se deve ao fator genético. "Existem muitos magros por aí que tomam bastante cerveja e não têm barriga nenhuma. É a genética influenciando".

    Segundo ele, tomar cerveja moderadamente, assim como o rótulo da bebida informa, faz muito bem para a cabeça. "Ela relaxa, descontrai". Mas, seguir bebendo a semana inteira, não dá. "O abuso de cerveja leva, automaticamente, ao abuso dos petiscos", lembra. Mas o que fazer para minimizar o estrago?

    "A pessoa pode selecionar o que vai comer. Existem alguns tira-gostos lights, como filé de peito de frango acebolado, kani, palmito, pastas para serem consumidas com torradas e pão árabe", destaca. Tudo bem que nada disso se compara a uma bela picanha, mas, fazer o quê?

    Tem que se cuidar
    Renato Lopes Arnaldo adverte que não adianta malhar a semana toda para tentar recuperar o fim de semana da manguaça. Que o diga o estudante Renato Fraga Lopes (foto ao lado), 24 anos. Ele conta que bebe de duas a três vezes por semana e, mesmo fazendo atividades físicas, não consegue acabar com a barriguinha "charmosa".

    A gordura que se acumula perto dos órgãos intra-abdominais, ou seja, dentro da barriga, é totalmente diferente da que se acumula sob a pele. Esta gordura intra-abdominal, chamada de gordura visceral, é altamente nociva, pois tem estreita relação com o aumento de riscos para o desenvolvimento das doenças do coração.

    Mas não só os obesos devem se preocupar com a saúde. Magros com "barriga de cerveja" também correm riscos.

    Então... o que dizer da "lourinha"? A "amiga nas horas incertas" é, na verdade, "inimiga mortal"? Não, desde que você pegue leve. É o estilo de vida de cada um que contribui para o aparecimento das "gordurinhas" em locais indesejados. Então, beba moderadamente e seja feliz com a sua "pança"!

    Confira o quadro abaixo:
    1g de ácool 7 cal
    100 ml de cerveja 42 cal
    600 ml de cerveja 250 cal

    Veja os benefícios e malefícios do consumo excessivo da 'lourinha':

    Malefícios:
  • Tomar cerveja de estômago vazio provoca hipoglicemia (baixas taxas de açúcar no sangue) com sintomas de palidez, tontura, fraqueza e mal estar geral

  • O consumo excessivo de bebidas alcoólicas aumenta a diurese e a desidratação, levando com isso à perda de importantes vitaminas hidrossolúveis (C e Complexo B) e minerais como Cálcio, Zinco e Magnésio

  • O uso contínuo pode levar ao alcoolismo, o que pode afetar o convívio social da pessoa

  • Riscos de efeito colateral

  • O uso crônico pode causar problemas no fígado, doenças do aparelho digestivo (gastriste, úlcera...)

  • Pode atrapalhar na fertilidade

  • Aumento no risco de doença cardio-respiratória e infartos

  • Ressaca, cujos sintomas não são nada agradáveis. Recomenda-se o consumo de coisas leves (massas, caldos, sopas e sucos, no dia seguinte)

    Benefícios:

  • Diurético

  • Relaxante

  • Tem menor concentração de álcool do que vinhos e destilados. O percentual de álcool na cerveja varia entre 3 e 8%. No vinho é de 12% e nos destilados, de 40 a 50%
    Fonte: Arnaldo Pinheiro
  • O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.