• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Alimentação na terceira idade Anote as dicas para ter mais qualidade de vida na melhor
    idade. Os cuidados devem começar o quanto antes

    Fernanda Leonel
    Repórter
    26/09/2006
    O nutricionista Gilson Irineu de Oliveira fala da importância de se cuidar da alimentação em qualquer época para se ter mais qualidade de vida ao envelhecer. Clique para assistir ao vídeo!


    foto de pessoas da terceira idade se
apoiando para fazer exercícios físicos Chegar a terceira idade com saúde e disposição. Quem nunca pensou nisso? Na semana em que são comemorados o Dia Nacional do Idoso e o Dia Internacional da Terceira Idade, a questão da qualidade de vida na idade mais avançada chama atenção de todas as gerações para um assunto: a alimentação.

    "Somos o reflexo do que comemos durante a vida", resume o nutricionista Gilson Irineu de Oliveira Júnior (foto abaixo) lembrando que uma alimentação saudável, variada e equilibrada deve ser preocupação constante em todas as idades. "Tudo que comemos durante ao longo dos anos vai refletir na sua qualidade de vida na terceira idade", complementa.

    Ou seja, não adianta achar que se vai combater o problema quando ele chegar. Quando seu corpo envelhecer, a tendência é que ele tenha cada vez mais dificuldade em resolver os problemas sozinhos. Mais ainda: como destacou Gilson, é muito difícil imaginar que o organismo consiga "tirar o atraso" de uma vida toda.

    nutricionista Gilson José de Oliveira

    Mãos ao garfo! Ao contrário do que muita gente pensa não há alimentos mais adequados aos idosos. Vejamos o exemplo da osteoporose, conforme destacou o nutricionista. Segundo ele, não há estudos que comprovem que a ingestão do cálcio (cuja ausência é a causa da doença) ingerido na quantidade correta, só durante a terceira idade, resolva o problema.

    "O osso é um tecido vivo. Ele é dinâmico. As células, a grosso modo, 'põem' e 'tiram' cálcio no osso ao longo da vida. Aos 20 anos de uma pessoa, ele já está praticamente formado. A partir daí, a tendência é que as células que 'destroem' estejam em maior número que as que constroem", explicou Gilson. Lembrando a frase resumo: somos o reflexo do que comemos ao longo da vida.

    Na mesa do idoso
    Se não há alimentos específicos para a terceira idade, há alimentos que podem ajudar na prevenção e controle de doenças que são típicas de pessoas que estão neste estágio da vida.

    A hipertensão, por exemplo, que possui maior grau de incidência entre os mais velhos, vem com um menu a tira colo: reduzir o consumo de sal, tomar bastate líquido, controlar o peso e colocar sempre no prato muitos vegetais verdes e alimentos ricos em potássio.

    foto foto foto

    Para o diabéticos a recomendação de Gilson é que o açúcar seja evitado, que a pessoa coma bastante fibra (aveia, cereais, pão integral, folhas) e não esqueça de praticar atividades físicas e controlar o peso.

    E para o colesterol e triglicéris alto? Dá-lhe vegetais, frutas, bagaços de frutas para consumir fibras e força de vontade para correr dos toucinhos, bacons e maioneses que contém gordura animal. No caso específico do triglicéris é ainda bom controlar a ingestão de alimentos que contém açúcar.

    Para alimentar melhor
    imagem de sal caindo do saleiro Conforme explica o nutricionista Gilson Oliveira, as pessoas mais velhas têm tendência a perder as sensações, entre elas o paladar. Quem está na terceira idade, pode por exemplo, acabar colocando mais sal na comida por não percebê-lo tão bem, assim como em alguns casos, chegar até a perder o apetite por não achar a comida tão saborosa assim.

    Em nenhum dos dois casos a situação é boa. Uma alternativa para o primeiro problema pode ser apresentar a comida para o idoso de forma mais interessante. E para resolver o problema da falta/excesso de sal é melhor tirar o saleiro de cima da mesa assim como instruir a pessoa mais velha a abusar dos condimentos na hora de preparar sua comida.

    Esses condimentos (cebolinha coentro, etc), além de reduzirem o uso do sódio, ajuda ainda em outra particularidade das pessoas mais velhas. Quando mais avançada a idade, menor a quantidade de ácido clorídrico no organismo, substância que ajuda na digestão. Se a pessoa usa condimentos, ajuda o corpo a trabalhar com essa quantidade menor de ácido estomacal.

    foto de uma caneca de chá

    Outra mudança no organismo das pessoas mais velhas está relacionada a diminuição do metabolismo do corpo. O corpo trabalham em um ritmo menor e por isso é importante que a pessoa coma menos e mais vezes ao dia, para evitar sobrecarregar a digestão.

    Segundo Gilson também é importante retirar o líquido das refeições. O líquido na hora do almoço, por exemplo, não é bom para ninguém, mas pode ser pior para quem tem mais dificuldade em processar a digestão.

    Atenção especial também deve ser dada ao café e chá. O organismo das pessoas mais velhas também trabalha diferente no que diz respeito ao sono. É uma mudança fisiológica que pode fazer que os mais velhos fiquem mais sensíveis a alimentos estimulantes e percam o sono com mais facilidade.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.