Miss Brasil Gay 2010 repercute nas mídias local e nacionalTrinta e quatro veículos foram credenciados para o evento. Além da imprensa, o Portal ACESSA.com registrou também a presença de personalidades do mundo gay

Daniele Gruppi
Subeditora
16/8/2010

Trinta e quatro veículos de comunicação cobriram a festa que elege a mais bela transformista do país. Ao todo, 120 profissionais desdobraram-se para mostrar ao público todos os detalhes do evento. Entre os veículos estava o Portal ACESSA.com, que há 12 anos dá destaque ao Miss Brasil Gay, através do caderno especial Zona Pink.

Para uma das responsáveis pela assessoria de imprensa do evento, Gisele Cid, o interesse de vários veículos nacionais e locais vem crescendo. Ela também acredita que o fato de uma candidata ao título de Miss Brasil Gay 2009 ter arrancado a peruca da vencedora ajudou a aumentar ainda mais a visibilidade do evento.

A diretora do quadro Cinderela, do programa da Eliana, na emissora SBT, Tatiana Longhini, afirma que o quadro sempre aborda assuntos que interessam ao público do evento, já que a Cinderela é uma transformista. Entretanto, ela diz que a cobertura da 34ª edição da festa foi motivada pelo "episódio da peruca". "Teve babado e uma boa repercussão." No próximo sábado, dia 21 de agosto, além de abordar os acontecimentos do concurso de 2010, o programa vai relembrar o evento em 2009. "Vamos também levar ao palco as três primeiras colocadas."

Para o jornalista Evandro Medeiros, que cobre pela terceira vez o evento, tanto interesse da mídia torna o trabalho mais complicado. "É difícil achar algo diferente para tornar a matéria especial." Ele acrescenta que trabalhar no concurso é uma oportunidade de mostrar o outro lado da diversidade, que não é mostrado sempre na mídia. "É um lugar em que todos podem ser o que realmente são. A festa tem também uma importância política." A jornalista Larissa Zimmermann diz que para o profissional cobrir a festa é fundamental promover a diversidade. "Tento divulgar o patamar da beleza gay e buscar histórias inusitadas."

Cinderela entrevistando Miss Arrasa BiDe acordo com a drag repórter Lully Fashion, contratada pelo evento, a ideia da cobertura é mostrar como ele agrega outros valores à cidade e como os juizforanos recebem os turistas. "É incrível como a comunidade participa e comparece ao evento para olhar a beleza." A Miss Arrasa Bi, do site Arrasa Bi, também esteve no evento com intuito de mostrar o belo e contribuir de forma positiva com a comunidade LGBT.


Presenças

Além da imprensa, personalidades do mundo gay também compareceram em peso. Isabelita dos Patins há 25 anos participa do Miss Brasil Gay. Para ela, o evento é um dos mais respeitados. "É muito gostoso. Juiz de Fora nunca vai perder a festa para outra cidade, pois esta é acolhedora. O que torna o evento especial é ver a realização do sonho de uma pessoa em uma noite."

Salete Campari e Rebecca Felini foram convidadas para apresentar a galeria da beleza e tentaram imprimir um pouco de humor à abertura da grande noite. A estilista Michele X, responsável pelos trajes de gala da Miss Espírito Santo e pelo da Miss São Paulo, esteve na torcida e atenta o tempo todo à passarela.

Isabelita dos Patins Salete Campari Michele X

O ator global Marco Bao foi escalado para apresentar um número especial, imitando a Marilyn Monroe. Além destes, o Portal ACESSA.com registrou também a presença do fundador da primeira associação pelos direitos humanos dos homossexuais do Brasil, o Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott, dentre outras personalidades.

 

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.