Quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017, atualizada às 16h28

Apae Juiz de Fora volta a funcionar parcialmente nesta quarta-feira

Angeliza Lopes
Repórter

Uma semana depois de paralisar as atividades, a Associação de Pais e Amigos Excepcionais (Apae) de Juiz de Fora retornou parcialmente os trabalhos nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, com funcionamento da escola para os assistidos. Os serviços oferecidos ao público externo - fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia, fonoaudiologia e hidroterapia, continuam fechados.

A instituição fechou as portas no último dia 6 de fevereiro devido falta de recursos para pagar parte dos funcionários. Por problemas de atrasos no repasse do convênio com a PJF, a Justiça congelou o dinheiro dos pagamentos a pedido do Sindicato dos Trabalhadores (Senalba-MG). Conforme o coordenador do sindicato, Sérgio Oliveira Santos, a intenção era pedir o bloqueio para que eles mesmos pagassem os trabalhadores. "Mas a juíza não deu despacho para encaminhamento e pagamento dos salários pelo sindicato". A ação tramita na 4ª  Vara do Trabalho de Juiz de Fora.

A presidente da Apae, Stella Façanha, conta que apesar do bloqueio do recurso, as aulas retornaram nesta quarta, 15, após a associação receber doação de um empresário dos vales-transporte dos meses de janeiro e fevereiro para todos os funcionários.

“Voltamos porque temos responsabilidade com as famílias, pois todas trabalham e precisam deixar seus filhos na escola, e com os alunos que necessitam dos atendimentos. Alguns funcionários se prontificaram a voltar, após acordado trabalho reduzido, por isso não poderemos servir almoço e jantar como fazemos regularmente. Ainda não tivemos nenhum valor liberado e, infelizmente estamos dependendo de doações para pagarmos nossas despesas”, afirma.

Na última segunda, 13, a vereadora Delegada Sheila (PTC) e do vereador Charlles Evangelista (PP) apresentaram requerimentos solicitando a realização de uma audiência pública que trate sobre a situação da Apae de Juiz de Fora.

Para a audiência, serão convidados representantes do Ministério Público do Trabalho, além de representantes da Promotoria da Pessoa com Deficiência, Secretaria de Desenvolvimento Social, Secretaria de Governo, dentre outras. Está prevista ainda a participação da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, presidida pelo vereador João Coteca (PR).


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.