• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Destaques na Produção Científica Universidade Federal de Viçosa, na Zona da Mata mineira, aumentou
    o número de publicações em 640%, em dez anos. Veja o ranking

    Fernanda Leonel
    Repórter
    02/08/2007
    Foto da UFV

    A Universidade Federal de Viçosa (UFV), na Zona da Mata mineira, obteve o maior crescimento percentual na produção científica entre as universidades brasileiras nos últimos dez anos.

    De 1996 para cá, a evolução dos números chegou a 640%. Em termos práticos, isso quer dizer, por exemplo, que se há dez anos os pesquisadores da universidade publicavam 59 artigos por ano, em 2006, os números bateram 437.

    O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFV, Maurilio Alves Moreira, atribui a melhora a uma "mudança de mentalidade" da instituição, que, além de formar recursos humanos, passou a valorizar fortemente a produção de conhecimento.

    Foto da UFV "De cinco anos para cá, entendemos que a publicação é parte essencial da pós-graduação. Se não publicarmos, não vamos crescer", disse. Na UFV, os novos doutores contratados são presenteados com um "enxoval" que inclui computador, impressora e ajuda de custo para publicação de trabalhos.

    Segundo o pró-reitor, a universidade criou também outros estímulos à publicação, como pagamento por serviços de tradução para o inglês (necessário para publicação em revistas internacionais) e uma medalha anual conferida ao pesquisador de maior destaque da instituição.

    Crescimento da pesquisa

    O ranking de produção científica foi divulgado através de reportagem do jornal Estado de São Paulo, que conseguiu os números com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Nele, além da UFV, ganham destaque a Universidade de São Paulo (USP), Universidade de Campinas (Unicamp), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade do Estado de São Paulo (Unesp), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

    Aliás, essas universidades, localizadas em grandes centros, mantêm os seis primeiros lugares em número de produção científica desde o início deste tipo de análise. Neles, a UFMG é a de maior destaque no grupo, com aumento de 258%. A USP também triplicou sua produção no período, crescendo 200%, sustentando posição isolada como maior instituição produtora de conhecimento do País.

    A pesquisa no Brasil cresceu, e muito, nos últimos anos. Para se ter uma idéia, de acordo com dados da Capes, nos últimos 30 anos, o número de trabalhos publicados por pesquisadores brasileiros aumentou de 0,3% para quase 2% de todo o conhecimento científico mundial.



    PRODUÇÃO CIENTÍFICA Crescimento do número de trabalhos publicados por Instituição*
    INSTITUIÇÃO ARTIGOS PUBLICADOS AUMENTO
    2006 2001 1996 1996-2006
    1º USP 4.669 2.812 1.554 200%
    2º UNICAMP 1.842 1.219 678 171%
    3º UFRJ 1.537 1.163 634 142%
    4º UNESP 1.286 1.061 396 224%
    5º UFRGS 1.069 635 315 239%
    6º UFMG 1.019 605 284 258%
    7º UNIFESP 685 347 143 379%
    8º FIOCRUZ 584 324 235 148%
    9º UFSC 525 292 165 218%
    10º UFSCAR 511 400 181 182%
    11º UFPR 475 261 121 292%
    12º UFPE 440 294 139 216%
    13º UFV 437 140 59 640%
    14º UNB 424 247 123 244%
    15º UFC 373 170 73 410%

    * Trabalhos indexados na Web of Science

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.