• Assinantes
  • Autenticação
  • Negócios

    Emoções com a Copa podem desestruturar orçamentoMotivados pelas vitórias do Brasil, torcedores podem consumir mais do que o previsto nas finanças. Especialista ensina como driblar as dívidas

    Clecius Campos
    Repórter
    20/5/2010

    Os momentos emocionantes causados pelos jogos do Brasil durante a Copa do Mundo podem ser uma bola fora no orçamento de qualquer torcedor. Motivados pelas vitórias da seleção, o brasileiro mais apaixonado é capaz de criar um verdadeiro rombo em suas economias e gastar mais do que é capaz de pagar, com a compra de artigos próprios do campeonato e as comemorações excessivas.

    "A Copa é um evento sazonal, como o Natal, a Páscoa, o Dia das Mães. Como todos esses momentos, acaba levando as pessoas a emoções fortes. Nessas ocasiões, a compra de televisores, cornetas, camisas, bandeiras e tudo o mais é prejudicial para o bolso daquele que não planejou esse tipo de gasto. E, normalmente, custos com Copa do Mundo comumente estão fora do orçamento", afirma o educador e terapeuta financeiro Reinaldo Domingos.

    Segundo Domingos, nessa ocasião, em que toda a família está envolvida, o consumidor precisa pensar antes de gastar dinheiro com a Copa do Mundo. A regra geral é manter em dia o controle financeiro. "É preciso que a pessoa tenha consciência e desenvolva a cultura da educação financeira. Isso vai requerer uma mudança de hábitos e costumes." No caso específico de gastos pontuais, Domingos dá dicas para driblar as possíveis dívidas.

    A primeira delas é ficar atento ao poder publicitário da Copa. "As lojas farão de tudo para vender e o consumidor será levado a comprar aquilo que nem sonhava. É mesmo necessário comprar algo que vai durar só durante os poucos dias da Copa?" O crédito fácil também pode significar um gol contra as economias. "Faça as somas para saber se a prestação cabe no seu orçamento. Se isso não for verdadeiro, você terá problemas para muito depois da Copa."

    Situação financeira em campo

    Caso o apelo comercial seja maior que o controle, a atual situação financeira do torcedor deve ser levada em consideração. Uma pessoa que está em dia com suas contas, sem dívidas para sanar, pode pensar em adquirir algum produto específico da Copa. "Porém, ela deve observar se o montante não fará falta para compromissos posteriores."

    Outro caso é o torcedor que tem o dinheiro sobrando e pode usá-lo para "investir" na torcida para a seleção brasileira. "Este consumidor deve considerar se existem outros desejos ou sonhos que ele queira realizar. Se o consumo de uma nova TV para ver o Brasil ser campeão é mesmo necessário."

    Para a pessoa já endividada, a alternativa é pensar muito antes de comprar. "Quem tem dívidas tende a entrar em um processo de amplo consumo, o que o deixa com saldo ainda mais devedor. Se ainda assim esse torcedor for muito apaixonado, o melhor é escolher assistir aos jogos na televisão que já tem e usar as roupas que possui com as cores do Brasil. O que importa é a emoção, não os objetos."

    Dicas para não se endividar durante a Copa
    • Onde assistir aos jogos: muitas vezes, reunir os amigos em casa e fazer a famosa "vaquinha" para comprar comidas e bebidas é muito econômico, mas seja anfitrião consciente.
    • Caso vá a um bar ou restaurante, se preocupe em saber os preços dos produtos e se não existe taxa de entrada. Muitas vezes os sustos nessa hora são grande.
    • É realmente necessária uma televisão nova para assistir aos jogos só porque o seu valor, acrescido dos juros, podem ser pagos até a Copa de 2014? Cuidado, você pode estar levando uma TV e pagando duas.
    • Uniformes oficiais custam mais dinheiro, por isso lembre-se de que é muito mais econômico utilizar as roupas que você já possui com as cores do Brasil. Para torcer o que importa é a emoção e não os objetos.
    • Lembre-se de que a Copa do Mundo é um evento e o marketing publicitário o utilizará para levá-lo a consumir. Consuma conscientemente.
    • Cuidado com seus compromissos profissionais. Não vale a pena perder fontes de renda por causa de jogos.
    • Tome cuidado com bombas e fogos. São prejudiciais à saúde física e também à saúde financeira.
    • Corneta, bandeiras, batuques são legais, mas não necessariamente tudo junto. Assim, se cada um da turma comprar uma peça, o custo será menor para todos.
    • Os jogos são motivos para distração e não para tomar todas. Isso pode ocasionar a ressaca física e a financeira com as contas.
    • Aparelhos novos como celulares e MP7 não são necessários nesse momento. Eles devem ser adquiridos na medida em que realmente se fazem necessários.

    Fonte: DiSOP Instituto de Educação Financeira

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.