Juiz de Fora - MG

Terça-feira, 15 de janeiro de 2013, atualizada às 19h50

Vereadores aprovam, por unanimidade, o fim de todas as verbas indenizatórias

Andréa Moreira
Repórter
Reunião na Câmara

Os vereadores de Juiz de Fora aprovaram, por unanimidade, o fim de todas as verbas indenizatórias que os legisladores recebiam até então. A votação, que ocorreu nesta terça-feira, 15 de janeiro, só extinguia, primeiramente, os chamados 14º e 15º salários, cada um no valor de R$15.031,66. Entretanto, o vereador Noraldino Lúcio Dias Júnior (PSC), um dos autores do projeto, apresentou, antes da votação, outro projeto que propunha a extinção de todas as verbas indenizatórias. "Todos os 11 vereadores assinaram este novo projeto, que extingue não só os salários extras, como também qualquer outra verba extra, como as recebidas em reuniões extraordinárias, por exemplo."

Além dessa mudança, o novo projeto também torna mais rígidas possíveis mudanças nesse tipo de lei no futuro. "Só para apresentar um projeto que trate de verbas extras, será necessário contar com a assinatura de todos os vereadores. E, para a aprovação, será necessária a votação de 2/3 dos vereadores, além da aprovação em referendo popular," afirma o vereador.

O outro autor do projeto de lei, Wanderson Castelar Gonçalves (PT) ressalta a importância da aprovação para a imagem dos vereadores. "Este é um passo para esta Casa se reconciliar com a opinião pública, e para que ela tenha mais credibilidade," destaca o petista, lembrando, ainda, que propôs um projeto como esse há quatro anos, que não foi aprovado.

Presente na reunião da Câmara Municipal, o diretor do Sindicato de Farmácias de Juiz de Fora e também presidente da Associação de Portadores de Deficiência Física do município, Paulo Arede, aprova a atitude dos vereadores e espera que a Câmara seja mais transparente. "Agora que eles não irão receber mais esta verba, que eu considero exorbitante, espero que eles usem o dinheiro em projetos que beneficiem a cidade. Também gostaria que os vereadores se aproximassem mais da população e sempre informassem o que acontece nesta Casa, afinal, eles estão aqui para nos representar."

Além de Castelar e Noraldino, o projeto também contou com a autoria do ex-vereador José Sóter Figuerôa (PMDB). O projeto de lei agora aguarda a sanção do prefeito Bruno Siqueira (PMDB).

Os textos são revisados por Juliana França

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.