• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quinta-feira, 26 de novembro de 2009, atualizada às 13h

    Mutirão conscientiza contra a perda de memória do idoso. GRS tratou 569 pacientes de Alzheimer em novembro

    Pablo Cordeiro
    *Colaboração

    O III Mutirão de Distúrbio de Memória do programa estadual do Centro Mais Vida em Juiz de Fora começa nesta sexta-feira, 27 de novembro. O evento oferece atendimentos gratuitos às pessoas com mais de 70 anos e ocorre até sábado, 28, na sede da Agência de Cooperação Intermunicipal em Saúde Pé da Serra (Acispes), na rua Ataliba Barros, 5, São Mateus. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas através do telefone (32) 3313-4026.

    De acordo com a coordenadora do programa, Elaine Barbosa, a intenção é sensibilizar a população para evitar que a perda de memória natural em idosos acima de 70 anos se torne um problema irreversível. "Muitos são os casos de idosos que se queixam de perda de memória e não possuem diagnóstico. Faremos uma triagem e já direcionaremos os exames e o tratamento. A partir desta triagem, doenças como o Mal de Alzheimer podem ser diagnosticadas", explica.

    Segundo ela, o mais preocupante não é a perda de memória ou ações repetitivas nos idosos, já que é natural a partir dos 70 anos, mas o fato de as funções cotidianas ficarem prejudicadas. "A perda de memória nas atividades de rotina, como fazer compras e cozinhar, é preocupante."

    Dados internacionais apontam que 5% a 10% da população idosa é portadora de algum tipo de demência. A médica ressalta que o fundamental é identificar os sintomas o mais cedo possível para agilizar o diagnóstico e tratamento. Em Juiz de Fora, a expectativa de vida acompanha a média nacional, de 73 anos.

    Alzheimer

    A Gerência Regional de Saúde, em Juiz de Fora, atende demanda de 37 municípios da região e, no mês de novembro, tratou 569 pacientes acometidos pelo Mal de Alzheimer. Conforme dados fornecidos pelo órgão, a média de pacientes aumenta mensalmente e a quantidade de medicamentos disponibilizados pela Secretaria Estadual de Saúde, através do programa de medicamentos de alto custo, é proporcional ao número de pedidos. 

    O total de medicamentos fornecidos para os pacientes chegou a 527 caixas e frascos de remédios, sendo 80% referentes ao consumo da rivastigmina. "Os medicamentos são distribuídos de forma gratuita, desde que sejam atestados por um neurologista ou geriatra. O especialista prescreve e enviamos os dados para Belo Horizonte. Em 30 a 45 dias, o remédio chega, caso o processo seja deferido", afirma a farmacêutica do Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF) da GRS, Renata Oliveira Cunha. Os medicamentos são gratuitos para receitas encaminhadas pelo SUS ou pelas clínicas particulares.

    Centro Mais Vida
    O Centro Mais Vida funciona no segundo andar da Acispes e atende idosos encaminhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Desde a inauguração, em dezembro de 2008, até setembro deste ano, 3.595 idosos foram atendidos pelo órgão. "Realizamos um atendimento global do idoso, checando locomoção, cognição e comunicação, por exemplo", destaca Elaine. A equipe é formada por dez médicos, cinco enfermeiros, dois psicólogos, um fonoaudiólogo, um fisioterapeuta, um terapeuta ocupacional, um assistente social e um farmacêutico clínico.

    *Pablo Cordeiro é estudante do 9º período de Comunicação Social da UFJF

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.