O Museu Ferroviário de Juiz de Fora irá receber no próximo sábado (26) um recital de música preta. A apresentação acontece as 10h30 da manhã de forma gratuita e livre para todos os públicos. A apresentaçao faz parte da Agenda Novembro Negro, organizada pela Prefeitura de Juiz de Fora, reunindo 20 alunos da “Oficina de Técnica Vocal e Imersão ao Cancioneiro da Música Afro-brasileira e Afro-americana.” A atividade terá ainda a participação de convidados especiais.

Os destaques no recital deste sábado serão os spirituals (americanos), o samba e ciranda (brasileiros). O repertório inclui sucessos como “Ciranda em Cânone”, “Kizomba”, “O Sol Nascerá”, “Bess, You is my woman now” e “Swing low, sweet chariot”. Além dos alunos e do professor, a apresentação terá a participação da soprano Michelle Flores, dos músicos Victor Cassimiro (cavaquinho) e Juliana Costa (piano) e de Yara e Renato Canuto na percussão. Os dois últimos também são alunos da oficina.

20 alunos, com idades de 11 e 72 anos, aprenderam técnicas de música negra, com ênfase na preparação vocal e no entendimento da história e dos múltiplos aspectos dessa vertente musical. A “Oficina de Técnica Vocal e Imersão ao Cancioneiro da Música Afro-brasileira e Afro-americana” foi ministrada no Bairro Santa Cândida e teve oito encontros, além de dois ensaios extras. 

O projeto foi viabilizado com financiamento do Edital “Quilombagens”, lançado pela Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), como parte do Programa Cultural Murilo Mendes, que é mantido pela Prefeitura de Juiz de Fora. O objetivo do edital é valorizar a cultura negra e sua ancestralidade.

Prefeitura de Juiz de Fora - alunos da "Oficina de Técnica Vocal e Imersão ao Cancioneiro da Música Afro-brasileira e Afro-americana

COMENTÁRIOS: