Paulo Inácio - O candidato à reeleição, Jair Messias Bolsonaro (PL), fez questão de cumprimentar os apoiadores, durante o lançamento da campanha em Juiz de Fora.

Juiz de Fora foi a cidade escolhida pelo presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição, para dar o pontapé inicial na campanha eleitoral de 2022, nesta terça-feira (16). O presidente chegou ao município por volta de 10h e se reuniu com lideranças religiosas para um encontro que aconteceu no hangar do Aeroporto da Serrinha. Na reunião, havia lideranças evangélicas e católicas.

Entre os assuntos tratados, conforme o vídeo publicado nas redes sociais de Bolsonaro. O candidato à reeleição destacou as tomadas de decisão durante seu governo. Ele falou sobre o desafio de formar ministério sem pressões políticas e falou da resposta dada por ele para a população dos problemas econômicos, diante das dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19.

“Tivemos uma vacina para a questão econômica em 2019, que é a Lei da Liberdade Econômica, com desburocratização e desregulamentações. Entramos em 2020, lamentavelmente, na pandemia, lamentamos as mortes. Digo a vocês tudo o que falei lá atrás com muita humildade, estava correto. Não errei em nenhuma observação sobre a pandemia”, afirmou diante do público.

Ainda no Aeroporto, Bolsonaro conversou com a imprensa e falou sobre os seus próximos destinos da sua campanha eleitoral, que inclui o dia 7 de setembro um evento em Brasília. Após a conversa com jornalistas, Bolsonaro cumprimentou os apoiadores e seguiu em motociata pelas ruas de Juiz de Fora. Ele desceu sozinho em uma motocicleta, cumprimentando com acenos a população.

Bolsonaro seguiu pela Avenida Presidente Itamar Franco e seguiu em direção à Rua Halfeld, na esquina com a Batista de Oliveira, mesmo local onde foi vítima de um atentado ocorrido no dia 6 de setembro de 2018. No local, os apoiadores, que começaram a chegar por volta das 9h o esperavam diante de um carro de som. O veículo foi cercado com gradis nas quatro direções. Pessoas que passaram por credenciamento realizado pela organização conseguiram entrar nos espaços demarcados. Seguranças com detectores de metais faziam revistas nos participantes na entrada do local fechado.

Marcaram presença no comício o senador Flávio Bolsonaro (PL) e o deputado federal Daniel Silveira (PTB) e o candidato à vice-presidência de Bolsonaro, o general da reserva Walter Souza Braga Netto (PL). Os candidatos apoiados por Jair Messias Bolsonaro em Minas Gerais também o acompanharam: Carlos Viana (PL), que disputa a vaga de governador, o candidato a senador Cleitinho Azevedo (PSC) e o candidato a deputado federal Nikolas Ferreira (PL).

As palavras de ordem entre os apoiadores seguiram a mesma linha da campanha de 2018: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. As pessoas revezavam gritos de “mito” e sempre que alguém se referia ao candidato à presidência pelo PT Luiz Inácio Lula da Silva, os presentes exclamavam: “Lula ladrão, seu lugar é na prisão.” “a nossa bandeira jamais será vermelha”.

Papel de Minas nas eleições

Em seu discurso aos apoiadores, Bolsonaro pontuou a importância de Minas Gerais no processo eleitoral. “Minas faz parte da história. Sabemos do seu passado, o que representa para o Brasil no tocante à liberdade. Está na sua bandeira. Na verdade, Minas Gerais é a locomotiva de qualquer campanha eleitoral.” Indicando Carlos Viana e os demais candidatos, Bolsonaro orientou quais devem ser as escolhas dos eleitores. “Façam escolhas com a razão, para que possamos, cada vez mais, fazer do nosso país, um país de prosperidade.”

Bolsonaro destacou esforços do Governo Federal para reduzir a inflação e os preços dos combustíveis. “Agora, nas questões espirituais, somos um país majoritariamente cristão. Um país onde a maioria acredita em Deus. Um país que não quer retrocesso, não quer a volta da ideologia de gênero nas escolas.” Ele acrescentou que cada vez mais, quer um país que preza pela liberdade de crença de seu povo. “Vamos falar de política sim, para que ninguém nos proíba de acreditar em Deus.”

O candidato à presidência ainda reiterou que, apesar de ter sido atingido com uma facada no exato ponto em que fez o comício, a recordação que leva é a de um renascimento. “Hoje, cada um de vocês, cada vez mais, tem conhecimento de como é a política e a sua importância. Estou aqui porque acredito em vocês e no povo brasileiro. Que somos a um país condenado a dar certo.”

Bolsonaro passou a palavra à esposa, Michele Bolsonaro. Ela também voltou o discurso para o campo da religiosidade. “Com a ajuda do povo, pedimos a Deus que haja amor, paz, que a vida do país seja próspera, produtiva, não aceitamos mais o espírito de miséria no Brasil. É uma campanha muito simbólica, campanha em que o povo brasileiro vai ser liberto da mentira e do engano.” Ao final da fala de Michele, ela pediu que as pessoas rezassem um pai nosso junto com ela.

O candidato à vice-presidência, o general Braga Netto, destacou que ficou emocionado ao falar na cidade. “Juiz de Fora é a terra do meu pai, Minas Gerais é minha Terra. Começar a campanha aqui, para nós, é um marco. É onde nasci e onde o presidente renasceu, a segunda terra dele. Estamos juntos porque os nossos valores, o meu e o do presidente são os mesmos: pátria, família, religião, liberdade. O que é mais importante para nós, é que esses valores sejam mantidos.”

Por volta de 12h30 o comício foi encerrado. Na dispersão, uma apoiadora do candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chamou a atenção de participantes do evento, balançando uma toalha com o rosto de Lula da sacada da galeria Zé Kodak. Os apoiadores de Bolsonaro levantaram gritos de ordem, enquanto passavam pela mulher. Em seguida, o grupo de desmanchou.

 

 

COMENTÁRIOS: