RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Matthew McConaughey, 52, confessou ter sofrido abusos sexuais na sua adolescência. O ator contou que se recusou a ser chantageado para fazer sexo aos 15 anos, mas, aos 18, foi drogado e molestado por um homem.

Em entrevista ao podcast "The Conversation: About the Men", de Amanda de Cadenet, ele disse que sabia que algo estava errado -em ambas as situações- com base no ensinamento que recebeu de seus pais.

"Fui orientado por meus pais sobre respeito por uma mulher, respeito pelo relacionamento, respeito pela intimidade sexual, respeito pelo espaço", começou ele.

"Meu pai sempre teve essa coisa quando ele nos ensinou os pássaros e as abelhas, ele sentou falando sobre os pássaros e as abelhas, ele disse: 'Você está naquela idade que você beija?'. E eu disse: 'Sim, senhor.' E ele disse, 'Bem, vai mais longe do que isso um dia. Provavelmente vai para onde você vai ficar íntimo'", contou o ator.

McConaughey disse que, graças a lições como essas, ele entendeu o que era um relacionamento sexual saudável e o que não era, e percebeu que ser chantageado para fazer sexo aos 15 anos não fazia parte de uma normalidade.

"Mas fui muito claro, de novo, que não estava certo, não era legal, não era assim. Depois disso, eu tive algumas relações sexuais saudáveis e tive garotas que eu gostava e gostavam de mim, e lentamente nos tornamos íntimos. Era bonito e desajeitado, e todas essas coisas, mas não era feio assim", afirmou.

Quando foi abusado sexualmente, aos 18 anos, a estrela de "Clube de Compras Dallas" disse que não conectou os dois casos até muito mais tarde. Embora não tenha feito terapia para superar o trauma que enfrentou, McConaughey disse que teve muitas pessoas em sua vida que o ajudaram a superar os abusos.

O ator disse que não se deixou abalar, pois ama demais a vida e acredita demais nas pessoas para ficar com medo por causa das coisas violentas e dos momentos dolorosos que aconteceram na sua vida.

"Eu não vou ter medo de relacionamentos porque minha primeira experiência foi uma chantagem", afirmou McConaughey. "Eu não vou ter medo de relacionamentos porque minha primeira experiência foi chantagem. Uh uh. Isso é uma aberração. Não, não. Não é assim que é. Eu vou dizer: 'Eu não vou deixar isso bater no meu senso de confiança nas pessoas. Eu posso ter um relacionamento saudável'", ressaltou.

"Aconteceu. Estou negando que isso aconteceu? Não. Eu não estou negando que isso aconteceu. Escolhi que não vou carregar isso, não vou trazer essa bagagem para a vida, e em como trato as pessoas e como confio nas pessoas, e como vejo as circunstâncias e riscos", acrescentou.

Em uma entrevista ao "The Tamron Hall Show", ele disse o motivo de não ter falado isso anos atrás. "Sim, vítima nessas duas situações? Claro. Mas isso não significa que eu tenha levado ao longo da minha vida o sentimento de 'Oh, eu fui vítima', ou 'Oh, eu fui uma vítima', ou que esses dois eventos infelizes me transformaram no homem que sou ou são uma desculpa", destacou.

A vontade de falar veio através da sua autobiografia, "Greenlights", onde avaliou que poderia acrescentar de uma forma construtiva pessoas que enfrentam as mesmas situações. Mas, o ator sempre se envolveu no apoio de instituições que amparam vítimas de agressão sexual.

Além de ator, McConaughey já trabalhou como professor da Universidade do Texas, e por lá ofereceu seu apoio para ajudar nos esforços para erradicar a agressão sexual no campus. Mas, antes, em 2006, ele se envolveu no Programa de Eliminação de Estupro da universidade, ajudando a transportar estudantes para casa após o anoitecer.