SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Estrelas da música e da dramaturgia aparecem em vídeo para uma campanha nas redes sociais que pede que as pessoas substituam seu voto em Jair Bolsonaro e o transfiram para Lula nas eleições para presidente em 2 de outubro.

Com um refrão que diz "vira vira voto, vira vira vira", os artistas mudam um sinal de arma com a mão, uma referência a Bolsonaro, para um "L" de Lula. Na letra há um trecho que diz que cada voto virado é de "resistência e esperança". "Olhe pro futuro, dê um lápis e tire a arma da criança", diz outra parte.

Os cantores Caetano Veloso, Gal Costa, Arnaldo Antunes e Mart'nália e os atores Alinne Moraes, Cláudia Abreu, Zezé Polessa e Bruno Garcia são alguns dos famosos que podem ser vistos no no viral.

Um grupo de artista s com os atores Bruno Gagliasso e Wagner Moura, além dos cantores Lenine e Zélia Duncan, já haviam se reunido para produzir uma música contra a candidatura do presidente Jair Bolsonaro, do Partido Liberal, à reeleição. O clipe, batizado de "Hino ao Inominável", foi lançado no YouTube no sábado (17). A composição é de Carlos Rennó, e a melodia, de Chico Brown e Pedro Luís. A montagem tem 13 minutos e foi gravada entre julho e agosto em São Paulo e no Rio de Janeiro.

A campanha eleitoral segue quente entre os artistas. Muita gente já tem declarado para quem vai seu voto nas urnas. A favor de Lula estão ainda nomes como Juliette, Bianca Andrade e o ex-jogador Raí.

Em prol de Bolsonaro estão o ator Malvino Salvador, que saiu em defesa do candidato à reeleição ao participar do podcast "Cara a Tapa", os cantores Zezé di Camargo, Sérgio Reis, Gusttavo Lima e Latino e o ator Thiago Gagliasso.