SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O empresário Farid Curi, marido da ex-atriz global Suzy Camacho, morreu na manhã desta quarta-feira (21), aos 85 anos. Ele estava internado em coma desde 2020. A informação foi dada pela jornalista Sonia Abrão, no "A Tarde É Sua" (RedeTV!), e confirmada pela reportagem.

"Comunicamos, com imensa dor, a morte do nosso pai, Farid Curi, na manhã desta quarta (21), em São Paulo, após um longo período de internação. Ele deixa seis filhos, nove netos, três bisnetos e um legado profissional e de dedicação à família e amigos que não serão esquecidos. Contamos com a compreensão de todos para a privacidade e recolhimento que este momento nos exige', informam os filhos do empresário em nota.

Suzy Camacho e Farid Curi se casaram em 2013 em regime de separação obrigatória de bens. Desde 2020, o empresário e a atriz enfrentam uma ação na Justiça contra os herdeiros dele em razão de uma movimentação financeira de R$ 10 milhões.

QUEM É FARID CURI

Com uma carreira empreendedora e vida pessoal discreta, Farid Curi guinou sua vida de empresário ao apostar no varejo, em um negócio criado por Alcides Parizotto.

Fundado nos anos 1960 em Maringá (PR), o Atacadão se tornou uma das grandes redes do ramo no Brasil. Em 1972 foram instalados os primeiros escritórios e depósito de São Paulo. Foi aí que Farid Curi e outro empresário, Herberto Schmeil, passaram a fazer a gestão administrativa e comercial da organização, segundo o LinkedIn da empresa. Em 1991, o fundador saiu da sociedade.

A partir de então, Farid Curi liderou a empresa ao lado dos outros dois sócios. O Atacadão começou a expandir sua atuação para várias cidades do país. Os executivos se diziam rígidos quando se tratava da empresa. Em viagens de negócios, por exemplo, costumavam se hospedar em hotéis baratos, ao lado da equipe de vendas ? afirmou Curi em entrevista à revista IstoÉ em 2012.

Além disso, quando procuravam terrenos para novas unidades, eles entregavam cartões de visita em branco, para evitar que a imobiliária ou o vendedor descobrissem que eram proprietários do Atacadão e aumentassem muito o preço.

Em abril de 2007, o Carrefour anunciou a compra da rede de hipermercados, que detinha 4% do setor no país, por R$ 2,2 bilhões. O pagamento bilionário incluía 34 lojas, 17 delas no estado de SP.

A aquisição foi uma das maiores operações no setor de varejo e colocou o grupo francês no primeiro lugar do ranking do setor.

Farid Curi não se dedicou somente a uma empresa. Segundo o site Transparência, que compila dados com base no Portal da Transparência do governo, ele tem envolvimento em 34 CNPJs em diversos estados, como Bahia, Pernambuco e Mato Grosso. O capital das empresas soma R$ 342.572.029,00. Ao menos cinco estão ativas.

O milionário também tem empreendimentos com os quatro filhos: Beatriz Curi, Muriel Curi, Rodrigo Curi e Alfredo Curi. Entre eles, está a Royal Brasil, no ramo imobiliário, e a Curi Empreendimentos, focada em sociedades de participação. A mais recente foi aberta em 2010, na área de turismo e agência de viagens.

CASAMENTO COM SUZY CAMACHO

Suzy e Farid Curi se casaram em 2013, com separação total de bens ? como é prevista em lei para quem tem mais de 70 anos. Na época, ela tinha 52 e ele 76. A vida do empresário continuou sendo discreta, com poucas aparições.

Sete anos depois do matrimônio, em 2020, Farid foi levado a neurologistas e psicólogos. O intuito era atestar a capacidade mental do empresário, que estava em coma havia dois anos no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo.

O quadro de Curi era de encefalite herpética, complicação neurológica que causa perda de memória e confusão mental. Conforme os médicos, o quadro era difícil de ser revertido.

ENTENDA O CASO JUDICIAL

Recentemente, o colunista do site UOL Rogério Gentile revelou que Suzy Camacho foi denunciada pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) de se apropriar de R$ 10 milhões de Farid Curi. A promotoria acusa a atriz também de utilizar atestados médicos falsos para declarar a incapacidade de Farid e assim movimentar os recursos em nome do marido.

Em contato com Uol no mês passado, o advogado Luiz Flávio Borges D'Urso, que defende Suzy Camacho, negou as acusações. "Essa denúncia é por uso de atestado falso. O atestado não é falso e não foi utilizado pela senhora Suzy. O que acontece é que o marido dela, o senhor Farid, sofre um processo dos filhos por causa de dinheiro. Então, o processo não tem nada a ver com a senhora Suzy, é dos filhos contra o senhor Farid", afirma.

"Razão pela qual essa denúncia não irá prosperar e esse dinheiro que está sendo objeto desse grande processo, desse debate, é do senhor Farid, que estava bem e pediu resgate. Esse dinheiro foi para a conta dele", diz D'Urso.

A Polícia Civil ainda afirma que um imóvel, que tem valor estimado de R$ 60 milhões, teria sido vendido pela atriz por R$ 32 milhões em 2015. A defesa da atriz nega a acusação e afirma que o negócio abaixo do valor foi fechado pelos filhos do empresário e não pela sua cliente.

"A matéria dá a entender que a venda teria sido feita pela Sra. Suzy, quando, na verdade, esta venda foi realizada pelos filhos do Sr. Farid, os quais estão sendo investigados em Inquérito Policial instaurado para esse fim, que visa apurar as circunstâncias dessa referida venda", diz a nota de Luiz Flávio Borges D'Urso, advogado de Suzy Camacho.

QUEM É SUZY CAMACHO?

Suzy Camacho ficou conhecida nas décadas de 1970 e 1980 por seu trabalho em novelas como "A Viagem" e "Brega e Chique". Apesar de ter alcançado a fama atuando em novelas da Record, TV Tupi, Bandeirantes, SBT e Globo, a primeira aparição artística de Suzy Camacho foi no Mini Miss São Paulo 1971.

A primeira novela de Suzy foi "Vidas Marcadas" (1973), da Record. Em seguida, a atriz foi para a Rede Tupi e participou de títulos como "A Barba Azul" (1974), "A Viagem" (1975), "O Profeta" (1977), "Aritana" (1978), entre outros.

Com o fim da TV Tupi, ela foi para a Bandeirantes, atuando em novelas como "Pé de Vento" e "Dulcinéia Vai à Guerra". Na sequência, recebeu um convite para o recém-criado SBT, onde protagonizou obras como "A Força Do Amor" e "Jerônimo".

"Brega e Chique" foi a única novela que Suzy fez para a Globo. No ano passado, a produção foi reprisada no Canal Viva.