SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A jogadora de vôlei Isabel Salgado, morta no último dia 16, será homenageada em "Deus Ainda É Brasileiro", novo filme de Cacá Diegues. Na história, Deus (vivido por Antonio Fagundes) está descontente com a humanidade e faz uma reunião com anjos para decidir se põe fim à Terra ou não.

A ideia é que Isabel esteja presente neste encontro, interpretada pela sua filha Maria Clara. "Ela estará de jeans, camiseta branca e havaiana, que era como ela mais gostava de andar", adianta Paula Barreto, produtora do filme.

Amiga de Isabel, partiu dela a proposta do tributo. "O Cacá Diegues ainda está escrevendo a fala que ela terá, mas será algo assim: 'Eu acabei de chegar aqui [no céu], mas o que está faltando na Terra é só amor'", antecipa Paula.

Após a reunião, Deus decide visitar o Brasil para analisar se deve dar uma segunda chance aos seres humanos.

O longa, que é um spin-off de "Deus É Brasileiro", de 2003, está sendo gravado em Alagoas e tem estreia prevista para 2024, com distribuição da Imagem Filmes.

As filmagens, afirma Paula, estão correndo "super bem", mas já ocorreram alguns imprevistos e curiosidades. Em uma das cenas, Deus (Fagundes) entra em um elevador e transforma uma freira em uma cabra.

Por uma questão de produção, foi usado um bode na gravação. O animal é considerado arisco e, por isso, seria filmado sozinho. "Mas não estava dando certo", conta Paula. "Decidimos, então, fazer a cena com o Fagundes e como que por um 'milagre', o bode fez tudo certinho", relata ela, aos risos. "Quando acabou a filmagem, o ator brincou: 'Viu, Deus aqui deu conta do recado'".

Otávio Muller também está no elenco de "Deus Ainda É Brasileiro" no papel de Carlitão, irmão da protagonista, Madá, interpretada pela atriz Ivana Iza ?em "Deus É Brasileiro", Paloma Duarte faz a personagem.