SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Cintia Dicker, 36, revelou a condição que exigiu que Aurora, sua filha com Pedro Scooby, 34, passasse por uma cirurgia logo depois de nascer.

A modelo fez um relato sobre a gravidez e o nascimento da bebê à revista Vogue.

Aurora nasceu com gastrosquise. Segundo Cintia, a condição foi descoberta com 12 semanas de gestação. Para que a segurança da criança, ela deveria nascer entre 37 e 38 semanas e através de uma cesárea, além de ser operada logo após o nascimento.

A gastrosquise é uma malformação congênita em que o bebê nasce com o intestino exposto. A gastrosquise faz com que o intestino se desenvolva para fora do corpo antes da criança nascer.

A cirurgia durou cerca de 30 minutos e foi bem-sucedida. "Pude dar um beijo antes de encaminhá-la para a cirurgia. Naquele momento, o coração deu um nó e assim ficou durante os trinta minutos que seguiram. O procedimento terminou antes mesmo de finalizarem a minha cesárea. Todos na sala vibravam porque foi um caso de muito sucesso."

Cintia visitou Aurora no dia seguinte na UTI. "Mais uma vez tentei ser forte por ela, mas tocá-la só por uma janelinha com as mãos cheia de álcool, sem poder pegá-la no colo, foi difícil de controlar. Somando com os hormônios de um puerpério, era na hora do banho que eu desabava, mas saía de lá, vestia a capa de forte e seguia", contou.

No total, Aurora passou 16 dias internada. No período, Cintia sofreu com "baby blues" ou tristeza puerperal, um quadro que atinge as mulheres após o parto. Ela também teve uma inflamação na cicatriz da cesárea que precisou tratar com antibióticos.

"Viver tem novo sentido". "Esse é o maior amor do mundo e eu faço qualquer coisa para minha filha estar bem. Aprendi a valorizar de uma outra forma a minha mãe e todas as mães da UTI pela força inesgotável", disse Cintia.