RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Quase um mês depois de ver a filha passar por três cirurgias após o parto, Cintia Dicker resolveu revelar a doença que levou a menina passar pelos procedimentos. Aurora nasceu com gastrosquise, uma malformação gastrointestinal congênita e, segundo a modelo, essa condição [segundo o Ministério da Saúde é quando o intestino se desenvolve completamente para fora da cavidade abdominal] foi descoberta com 12 semanas de gestação.

"Quando soubemos da existência da gastrosquise, descobrimos também que, para segurança do bebê, a Aurora deveria nascer entre 37 e 38 semanas, atrás de uma cesárea", começou ela contando o drama que passou durante meses. E ela prosseguiu: "O período ideal seria na semana do Natal, dias em que muitos estão viajando, mas coincidentemente a equipe dos sonhos havia encontrado uma data e deu tudo certo".

Cintia Dicker contou ainda que ela e o marido Pedro Scooby ficaram apreensivos com o diagnóstico. "Nós não conhecíamos essa condição e tivemos muito medo por não saber como seria a cirurgia e também a recuperação da nossa filha. Fiquei procurando respostas na internet - algo que não aconselho - porque só me assustava mais. Como toda cirurgia, a dela também tinha riscos. Em muitos casos, não é possível colocar o intestino no lugar de uma só vez, sendo necessário mais de uma cirurgia", revelou em entrevista à revista Vogue.

Aurora nasceu no dia 26 de dezembro e, no total, passou 16 dias internada. No período, Cintia sofreu com "baby blues" ou tristeza puerperal, um quadro que atinge as mulheres após o parto. "Foram fortes emoções esses dias de internação da minha filha na UTI [Unidade de Terapia Intensiva]. Por falta de repouso, senti muita dor na cicatriz da cesárea e tive uma pequena inflamação, que resultou na necessidade de antibiótico e alguns cuidados. Felizmente ultrapassamos todas as dificuldades e estar em casa com ela é o melhor dos sentimentos."