SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Para Cecília Alexandre, diretora de marketing da Kraft Heinz, quinta maior empresa de alimentos do mundo, os marqueteiros precisam deixar de pensar apenas nas marcas e precisam mirar também o incremento das vendas.

"Não podemos viver no mundo encantando das marcas. A gente está aqui para construir marcas mais fortes, mais desejas e que vendam mais. Somos todos vendedores. O grande desafio é crescer no market share", diz.

A executiva foi a entrevistada do episódio #146 do podcast Mídia e Marketing, do UOL, que abriu o quarto ano do programa.

No papo, Cecília também conta como a marca busca ampliar sua conexão com o consumidor e explica como funcionam as ações realizadas com influenciadores.

No Brasil, a empresa tem as marcas Heinz (condimentos), Quero (alimentos e molhos), Hemmer (condimentos) e BRSpices (especiarias).

MARKETING BASEADO EM VERDADE, VELOCIDADE E VIVÊNCIA

"O marketing, agora, é uma relação de troca. É preciso chegar com a mensagem para o consumidor de uma forma diferente. Nossa estratégia é simples, baseada em '3 Vs': a verdade, que é absoluta, em todos os aspectos; a velocidade, que é estar na conversa do dia a dia, na velocidade da cultura, e a vivência, que vem pelas experiências do dia a dia das pessoas", afirma a executiva.

RELACIONAMENTO COM INFLUENCIADORES E CRIADORES DE CONTEÚDO

Cecília ainda explica como a Heinz fez uma grande ação com o influenciador Casimiro -que nasceu no digital e acabou com uma iniciativa em parques de São Paulo e do Rio de Janeiro.

"Se o Casimiro não puder falar as expressões dele, teríamos perdido metade da audiência. Nós passamos apenas a mensagem principal. Temos que confiar, como com qualquer parceiro. Precisamos criar conexões emocionais com os consumidores", afirma.