SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ouvir a vizinhança comemorar antes de conseguir ver o gol em sua televisão é situação comum na casa de Lorena Gouveia, 24, nos dias de jogo do Fluminense, time para o qual torce. Na Copa do Mundo, ela decidiu resolver esse problema.

"Eu sabia desse delay por causa de outros jogos a que assisto, mas não era tão importante. A Copa já é uma emoção a mais", diz ela, que comprou uma antena de TV nesta quarta-feira (23) no bairro onde mora, no Rio de Janeiro.

Esta edição do torneio está sendo transmitida, de forma gratuita, pela internet. Mas o sinal digital tem atrasos. Em um levantamento feito nesta quinta (24) pela Folha de S.Paulo, o atraso da exibição via internet chegou a 28 segundos em relação à TV digital, que capta o sinal pelo ar.

Há um ano, Lorena deixou o serviço de televisão por assinatura por falta de uso, e consome só os serviços de streaming, como Netflix e Globoplay. A situação é a mais comum entre os clientes de Paulo Henrique Souza, gerente de uma loja de eletrônicos em Santa Ifigênia, no centro de São Paulo.

Ele diz que as vendas de antenas digitais aumentaram 70% em dois meses, e grande parte da procura é para assistir aos jogos da Copa sem atrasos. "Hoje as pessoas têm TV por assinatura, mas tem um delay de 2, 3 segundos", afirma.

Ricardo Oliveira, sócio da Casa das Antenas, loja na zona sul de São Paulo, também diz que as vendas de antenas aumentaram cerca de 20% nos últimos dias. "Temos notado aumento [na procura] por conta do delay e porque as pessoas usam muito streaming hoje em dia. A transmissão via internet é mais lenta". afirma.

Oliveira avalia que o mercado de antenas andava em baixa, mas cresceu por conta da Copa, transmitida pela TV Globo. "As pessoas estão colocando a televisão para funcionar", comenta.

Além de torcedores querendo fugir do atraso na transmissão, o comerciante tem notado outro perfil de clientes em busca das antenas de TV: as empresas. Na maioria dos casos, ele diz, são companhias que não deram folga aos funcionários e querem permitir que eles assistam aos jogos nos escritórios.

Movimento semelhante foi percebido por Pedro Antônio, supervisor da loja Digital Antenas, na região central da capital paulista. "Bares e restaurantes também estão comprando mais neste momento. Como é a Globo que está transmitindo, às vezes a empresa não quer investir numa TV por assinatura", diz.

Segundo ele, a demanda por antenas de TV está sendo maior, como geralmente ocorre durante a Copa do Mundo, mas nada que se destaque em relação às outras edições.

A busca também subiu no varejo online. De acordo com um levantamento feito pelo Mercado Livre a pedido da Folha de S.Paulo, as buscas por antena digital feitas no site dobraram ao longo da última semana. Entre os dias 17 e 23 de novembro, o procura pelo produto teve crescimento de 102% em relação ao mesmo período da semana anterior.

DELAY NA COPA CHEGA A QUASE 30 SEGUNDOS

A reportagem da Folha de S.Paulo fez um comparativo do tempo da transmissão da TV Globo por quatro meios diferentes. A diferença entre a TV aberta e transmissão pela internet foi de 28 segundos.

Na TV aberta, com sinal captado por antena, o pontapé inicial do jogo Portugal x Gana foi exibido às 13h00m18s. Na Claro Box TV, por assinatura, a bola rolou às 13h00m31s, com delay de 13 segundos. Tanto no site GE quanto no aplicativo Globoplay, o mesmo momento só foi exibido às 13h00m46s.

Na mesma ocasião, o canal do streamer Casimiro na Twitch exibia comentários ao vivo sobre o jogo. O marcador de tempo do vídeo estava 10 segundos atrás do da TV aberta.

Os equipamentos usados nos testes estavam conectados em uma internet banda larga sem fio de 500 mbps de velocidade.

A TV também tem a vantagem de exibir o jogo assim que é ligada, sem que seja preciso assistir a comerciais antes, como ocorre em aplicativos e na internet.

A diferença no tempo entre os diferentes modos ocorre porque o sinal pode fazer viagens mais longas até chegar à tela do espectador.

Na transmissão via TV aberta, o sinal vai direto da emissora para a casa do espectador, em ondas que navegam pelo ar e que encontram poucas barreiras. Assim, conseguem chegar rápido.

Geralmente, as antenas de transmissão são colocadas em lugares altos. Assim, as transmissoras de TV em São Paulo se concentram na região da avenida Paulista e no Pico do Jaraguá. Lugares mais distantes das antenas emissoras podem ter mais dificuldade de receber o sinal.

Na TV a cabo, o sinal é enviado da emissora para a central da operadora, que o coloca em sua rede e o envia para a casa dos assinantes, via cabo ou satélite. Como o caminho tem mais etapas, leva alguns segundos a mais.

Na internet, o sinal da emissora passa por vários servidores e rotas até chegar ao aparelho do torcedor, e pode sofrer ainda mais atrasos se houver grande tráfego de rede naquele momento.

COMO USAR A TV ABERTA

As antenas digitais dão acesso ao sinal gratuito e digital de TV aberta, disponível no Brasil todo. Para acessar, basta comprar uma antena e conectá-la à uma TV que tenha conversor digital integrado. Os modelos custam em torno de R$ 20 a R$ 30 e praticamente todos fabricados nos últimos dez anos trazem a tecnologia.

Caso a sua TV seja mais antiga e não tenha a função, pode-se comprar um conversor à parte e conectá-lo via cabo de vídeo. O aparelho custa a partir de R$ 80 e funciona até em televisões de tubo. Nos dois casos, não há mensalidade ou cobranças extras.

Muitos apartamentos possuem antenas coletivas, que podem ser usadas de modo gratuito. Pergunte ao síndico ou zelador sobre como se conectar a elas.

Para fazer a instalação, basta conectar a antena na TV, rosqueando o cabo dela na entrada correspondente. Deixar a antena em um lugar livre, sem objetos na frente, melhora o desempenho.

Em seguida, é preciso fazer uma busca de canais, pelo menu do aparelho. O procedimento leva alguns minutos. Depois disso, para assistir a um determinado canal, é preciso digitar o número dele no controle remoto.

Nas TVs mais antigas, é preciso ligar a antena no conversor e o conversor na TV, e fazer a busca de canais usando o controle remoto do conversor.

GAMBIARRA PARA ANTENA DE TV FUNCIONA, MAS TEM RISCO

Alguns torcedores têm recorrido a alternativas "à la MacGyver" para fugir do delay. Uma das opções é usar um arame, daqueles que servem para fechar sacos de pão de forma e embalagem de alimentos.

A gambiarra -que foi testada e confirmada pela reportagem- consiste em desencapar o arame e inseri-lo na entrada de antena externa da televisão. Para que o sinal de canais abertos chegue, pode ser necessário rotacionar o arame e sincronizar a televisão.

Foi o que fez Erick Leal, 28, para não ver gols com atraso nos jogos. Ele perdeu o costume de ver canais abertos há 10 anos, e viu a ideia do arame de pão em uma conta no Twitter.

"No jogo faz muita diferença, a gente escuta todo mundo gritando antes da gente ver o que aconteceu", afirma o analista de sistemas. Embora quase nunca acompanhe futebol, ele gosta de ver os jogos do mundial pelo clima de festa. Nesta quinta, chamou amigos à sua casa para ver a estreia do Brasil com a antena improvisada.

Segundo Eduardo Pouzada, engenheiro eletrônico do IMT (Instituto Mauá de Tecnologia), isso funciona porque o sinal aberto é muito forte e alguns materiais metálicos simples, como arames e clipes de papel, conseguem transmitir a informação para a eletrônica do receptor da TV.

"Na prática acaba funcionando, mas, óbvio, não tem nada de profissional", diz. "Se o sinal fosse fraco, esse tipo de expediente não ia funcionar. Teria que ser antena profissional."

No entanto, Pouzada ressalta que a gambiarra pode trazer risco de acidente, já que há uma peça metálica "dando sopa" onde não deveria. "Se eventualmente acontecer de algum fio desencapado tocar naquela antena, isso vai passar uma energia muito grande para o circuito da eletrônica de entrada do receptor, certamente danificando o receptor, para não dizer danificando totalmente o televisor", afirma.