SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Usuários do site brasileiro Reclame Aqui já começaram a denunciar os primeiros golpes da Black Friday 2022.

De acordo com relatos de consumidores de São Paulo, o site da rede varejista Magazine Luiza está sendo alvo de ações fraudulentas. Dois consumidores informaram ao Reclame Aqui que a busca por eletrodomésticos em promoção retornou com links maliciosos.

"Estava pesquisando uma máquina de lavar, e achei através do Google um site que se dizia da 'Magalu', com preço acessível, porém o site era falso. Não me atentei, pois era tão idêntico ao original que não desconfiei. No fim, comprei a suposta máquina e, após isso, achei estranho não ter chegado nada no meu email, nenhuma mensagem. Fui pesquisar mais a fundo e me deparei com outras reclamações de outras pessoas. Não comprem neste site, se atentem mais aos detalhes do site", diz o usuário.

Outro consumidor afirmou que estava fazendo pesquisas para a compra de um fogão e que digitou o nome Magalu na busca. "Porém, nas pesquisas, apareceu um site que achei muito estranho, principalmente porque o preço está 50% menor que o outro site da Magalu. Tô achando que pode ser um site fake. Entendo que é importante deixar público no RA para alertar os demais consumidores", diz ele, que postou o provável site falso com fogão Consul 4 bocas a R$ 594,99. O valor do produto no verdadeiro site Magalu, diz, é R$ 1.234.

A Folha entrou em contato com o Magazine Luiza, que está averiguando o caso. Nos dois episódios descritos, os links saíram do ar.

Outros relatos dizem respeito à loja 2RStore, que anunciou a venda de camisas oficiais da seleção brasileira de futebol, mas atrasou a entrega ou enviou o produto errado. Cadastrada há 16 dias no Reclame Aqui, a empresa já possui um volume de 816 reclamações até a tarde desta quinta-feira, ocupando o 6° lugar no ranking das mais reclamadas.

Um consumidor de Santo André (SP) disse que o produto não foi entregue e que não consegue contato com a loja. "Realizei a compra de 1 camisa do Brasil no dia 16/11/2022 no site da 2Rstore, recebi o e-mail confirmando o pagamento, enviaram o código de rastreio e até o momento não consta nenhuma informação sobre o produto. Tentei entrar em contato pelo Whatsapp e por email, não obtive resposta em nenhum dos 2. Foi adquirido através de pagamento via pix. Como não dão satisfação, quero o reembolso do valor."

Já uma consumidora de Petrópolis (RJ) diz que o produto chegou diferente do anunciado. "Comprei uma blusa feminina azul de onça PEDIDO #1616 dia 06/11/2022 e recebi hoje dia 24/11/2022 uma camisa masculina toda azul, totalmente diferente do produto que comprei. Quero a troca do produto ou estorno do cartão. Totalmente impossível se comunicar com a empresa, inclusive, que já está usando outro endereço de email e número de WPP que também não existe comunicação."

A Folha de S.Paulo tentou contato com a 2RStore, mas não teve retorno até a publicação do texto.

O Reclame Aqui pede que os usuários se atentem a links com caracteres estranhos ou que trocam letras por números. Por exemplo: m4galu.com.br. O link também pode ter outras mudanças em relação ao endereço da loja verdadeira: semana-de-oferta-magazine, por exemplo.

Site lança detector de fraudes O site brasileiro de Reclamações Reclame Aqui anunciou nesta quinta-feira (24) uma ferramenta que ajuda a evitar fraudes e golpes na Black Friday: o detector de sites confiáveis. A novidade permite que os consumidores confiram páginas suspeitas antes de clicar.

É uma iniciativa entre o Reclame Aqui e a Axur, plataforma de proteção contra riscos digitais.

Para usá-la, o consumidor deve "colar" no campo da pesquisa o link do site que deseja verificar a confiabilidade. A ferramenta vai trazer informações e pontos de alerta sobre o endereço, caso se trate de um site duvidoso para compras.

De acordo com o principal executivo de tecnologia do Reclame Aqui, Michel Pinzetta, o detector vai ajudar o site de reclamações e a Axur a retirar do ar estes sites fraudulentos, combatendo os golpes digitais.

"O principal objetivo do Reclame Aqui é fornecer o máximo de informações para que o consumidor tome a melhor decisão de compra", diz Pinzetta. "Com o detector, vamos dar suporte não só para os consumidores, mas para as empresas, que são impactadas com clonagem dos seus sites e têm sua marca comprometida."

Segundo o executivo, o detector vai ajudar a entender mais sobre a URL pesquisada, uma vez que são links de empresas novas que, possivelmente, não estão cadastrados nos site do Reclame Aqui.