SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa está em alta e o dólar cai nesta segunda-feira (23), com as ações da Petrobras aparecendo entre os destaques do dia, e as projeções de que o ritmo de alta dos juros nos Estados Unidos vai começar a cair.

Às 14h00 (horário de Brasília), o Ibovespa operava em alta de 0,37% a 112.456 pontos. O dólar comercial à vista recuava 0,38%, a R$ 5,187.

Os juros apresentam tendência de alta nesta segunda-feira, após a divulgação do relatório Focus do Banco Central. Os contratos com vencimento em 2024 saíam de 13,50% ao ano no fechamento da última sexta-feira (20) para 13,55% às 14h00. Para 2025, os juros saíam de 12,77% para 12,84%. Para 2027, de 12,80% para 12,89%.;

As ações ordinárias e preferenciais da Petrobras avançavam cerca de 3,5% perto das 14h00, enquanto o petróleo do tipo Brent avançava 0,94% no mesmo horário, para US$ 88,45 o barril.

O avanço do petróleo se apoia na expectativa de aumento da demanda com a reabertura econômica da China, que deve se intensificar após o fim do feriado de Ano Novo Lunar, que dura toda essa semana, segundo analistas ouvidos pela agência Bloomberg. Eles apontam ainda a queda nas exportações de petróleo pela Rússia, com sanções pela guerra na Ucrânia.

Em Nova York, os principais índices de ações estão em alta, na expectativa pelo anúncio de resultados de gigantes do setor de tecnologia essa semana, como Microsoft, Tesla e Intel.

O mercado já tenta antecipar também uma diminuição no ritmo de alta de juros pelo Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos. Segundo a Bloomberg, os analistas projetam uma retomada da alta de 0,25 ponto percentual na taxa na reunião marcada para a próxima semana, depois de alguns aumentos de 0,50 ponto nos últimos encontros.

O índice Dow Jones subia 0,95% perto das 13h45 (horário de Brasília), o S&P 500 tinha alta de 1,30%, e o Nasdaq avançava 1,95%.

No âmbito doméstico, o relatório Focus do Banco Central revela que os economistas elevaram as projeções de juros para 2024, de 9,25% para 9,50%, e para a inflação neste ano e no próximo.

Os investidores ficam atentos também à visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Argentina, onde deve discutir a integração econômica entre os países, inclusive o desenvolvimento de uma moeda regional para uso comercial.

O dia também é marcado pela saída das Americanas do Ibovespa. A sexta (20) foi o último dia de negociação da ação ordinária do grupo, depois de realizar o pedido de recuperação judicial.

Agora, a ação da Americanas entra na categoria conhecida como penny stock, quando vale menos de R$ 1. Se permanecer nesta situação por 30 dias seguidos, a empresa será notificada pela B3, e terá 15 dias para apresentar uma solução. Caso contrário, será punida com multa diária pela Bolsa.

A ação ordinária da Americanas subia 15,49% perto da 14h00, cotada a R$ 0,82. Nesta segunda, a companhia pediu mais 48 horas para entregar sua lista de credores na recuperação judicial.

O trio de acionistas de referência da Americanas, Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, que juntos possuem 31% da empresa, divulgou nota neste domingo (22) na qual afirmam que jamais tiveram conhecimento e que nunca admitiriam quaisquer manobras ou dissimulações contábeis na companhia.