SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-senador e ex-ministro da Educação Cristovam Buarque enviou mensagem a amigos em grupo de WhatsApp para dar apoio a Jorge Paulo Lemann, um dos membros do trio de bilionários que são acionistas de referência da Americanas.

Em meio à crise desencadeada na varejista pelo escândalo contábil de R$ 20 bilhões, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) decidiu investigar Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles.

Em apoio a Lemann, o ex-ministro diz que o Brasil precisa de mais empresários humanistas como ele, que defendem a educação.

"Nunca fiz negócio com Jorge Paulo Lemann, não conheço sua carreira empresarial, nem sei seu papel na crise que a Americanas atravessa. Mas sei que ele faz parte de um raro grupo de empresários globais que dedicam parte de suas fortunas e agendas ao problema da educação no mundo", escreveu Buarque.

"Estive em alguns dos centros que ele criou em universidades do mundo, acompanho seus investimentos e cuidados com educação de base no Brasil, convivo com jovens líderes que ele ajudou a formar para serem políticos educacionistas, por isto dou meu testemunho que o Brasil precisa de mais humanistas como ele", diz a mensagem.