SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Quando a Globo começou a transmissão de Dinamarca e Tunísia na manhã desta quinta (22), pelo Grupo D do Mundial do Qatar, Renata Silveira se tornou a primeira mulher a narrar um jogo de Copa na TV aberta.

"Vai ser um dia muito especial por dois motivos. Primeiro, vou me tornar a primeira mulher a narrar um jogo de Copa do Mundo na TV aberta; e o outro é que vou narrar a Dinamarca, e todo mundo sabe, no ano passado, na Eurocopa, no jogo do mal súbito que o Eriksen teve, eu estava lá", comentou Renata em um vídeo postado em suas redes sociais.

Renata se refere ao duelo entre Dinamarca e Finlândia, pela Euro, disputada em 2021. Principal jogador dinamaquês, Eriksen teve uma parada cardíaca e perdeu a consciência em campo. A narradora carioca de 33 anos era quem comandava o jogo e teve que mostrar habilidade para conduzir o período de 11 minutos em que o meia recebia atendimento.

"Poder narrar a Dinamarca e contar uma outra história vai ser especial demais", completou. A postagem já tinha mais de 14 mil curtidas no início do jogo.

Esta barreira já havia sido superada em canais pagos. Na Copa de 2018, a extinta Fox Sports apostava em transmissões simultâneas comandadas por mulheres. Isabelly Morais, Manuela Avena e a própria Renata Silveira participaram de narrações ao longo do torneio da Rússia.

Na Copa do Qatar, antes do jogo desta terça (22), Natália Lara narrou para a Sportv Estados Unidos x País de Gales, na segunda (21), tornando-se a primeira mulher a narrar um jogo do torneio para o canal, que pertence ao grupo Globo.