SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Dois sauditas em destaque estragaram o primeiro último ato de Lionel Messi com a Argentina em Mundiais: Moha Al Owais, eleito o melhor em campo na vitória por 2 a 1, e Salem Al Dawsari, autor do golaço da virada. Ambos jogam no Al Hilal e poucos meses atrás sonharam em ter como companheiro de equipe outro dos maiores jogadores de todos os tempos ainda na ativa, o português Cristiano Ronaldo.

O clube mais rico da Arábia Saudita, que já foi treinado pelo português Jorge Jesus e conta hoje com os brasileiros Michael (ex-Flamengo) e Matheus Pereira (ex-Sporting e West Bromwich), fez a única (tentadora) proposta para o craque do Manchester United no último mercado de verão na Europa, antes do começo oficial da temporada 2022/23.

Depois de ter sido recusado publicamente por grandes da Europa, como Bayern de Munique e Atlético de Madrid, Ronaldo, que estava - e ainda está - insatisfeito nos Red Devils, foi procurado pelo Al Hilal. Porém, nem mesmo o valor estratosférico colocado em cima da mesa convenceu o jogador de 37 anos a rumar ao Oriente Médio: 250 milhões de euros (R$ 1,4 bilhões) em salários, divididos por duas temporadas -os restantes 20 milhões de euros (R$ 110 milhões) seriam para a intermediação.

"Teria sido fantástico contar com Cristiano Ronaldo no meu time. É o maior de todos, sem dúvida. Está infeliz na Inglaterra, já disse isso até naquela entrevista, então tenho certeza que seria muito feliz no nosso futebol", avisou o torcedor Basem Al Sqiri, na saída do Lusail Stadium, onde viu a Arábia Saudita fazer história diante da Argentina.

"É sonho de qualquer torcedor ter o Ronaldo do seu lado. Mas, honestamente, prefiro o Messi. Messi é mais completo, é mais mágico. Sou mesmo muito fã do Messi. Ganhamos dele aqui na Copa, o que prova que o nosso futebol pode atrair jogadores de nível mundial", reforçou Khalid Al-Dossari, fã do rival Al Ittihad Jeddah.

Al Owais e Al Dawsari não foram os únicos representantes do Al Hilal que participaram do triunfo frente aos hermanos na estreia do Grupo C da Copa do Muno de 2022. Houve também Saud Abdulhamid (lateral-direito), Ali Al Bulayhi (zagueiro), Yasser Al-Shahrani (lateral-esquerdo), Abdulellah Al-Malki (volante), Mohamed Kanno (volante), Saleh Al Shehri (atacante), Salman Al Faraj (volante) e Moha Al Burayk (lateral-direito).

Dos outros seis jogadores que entraram em campo contra os argentinos, dois atuam no Al Shabab (Has AlTambakti-zagueiro e Nawaf Al-Abed-atacante), dois no Al Nassr (Sultan Al-Ghanam-lateral e Abdulelah Al-Amri-meia), um no Al Ahli Jeddah (Haitham Asiri-atacante) e outro no Al Fateh (Firas Al-Buraikan-atacante.

Com o Al Hilal fora de cogitação nesta altura, Cristiano Ronaldo, que também está no Qatar com Portugal, aguarda uma grande prestação na Copa para ter novamente as portas abertas no Velho Continente. Tem vínculo com o Manchester United até junho de 2023, mas caminha para sair em janeiro. Por vontade própria ou até mesmo através de uma rescisão de contrato por justa causa.