AL-WAKRAH, QATAR (FOLHAPRESS) - Autor de dois gols na vitória por 4 a 1 da França sobre a Austrália na estreia da Copa do Mundo do Qatar, o centroavante Giroud deixou o campo como o principal destaque da equipe. Com os tentos, ele se igualou a Thierry Henry na artilharia da seleção francesa, com 51 gols.

Depois do jogo, ele disse se sentir abençoado por ter a oportunidade de igualar Henry, elogiou a confiança da equipe para buscar o resultado após sair atrás no placar, mas também deixou claro que ainda há margem para melhora.

"O que melhorar? Todo o início de partida, se quisermos ser perfeitos. Temos que entrar melhor no jogo. Ficamos um pouco assustados, mas reagimos rapidamente depois. Conseguimos voltar ao placar e continuar, mesmo que pudéssemos ter feito mais gols, nos encontramos bem, fomos eficazes. Mas nem tudo está perfeito. É muito bom para a dinâmica e a confiança ter virado a maré. Teremos que aprender com esses pequenos erros", afirmou o jogador de 36 anos, o mais velho a fazer gol pela França em Mundiais (o antigo recordista era Zidane, com 34).

Em relação ao fato de ter feito dois gols na estreia, enquanto mesmo sendo campeão da Copa da Rússia, em 2018, ele terminou sem marcar, o centroavante afirmou que são situações diferentes.

"Sinceramente, não [sinto-me aliviado]. Eu sempre tento ajudar o time como posso e o objetivo é, sempre que tenho a oportunidade, colocar a bola na rede. Desta vez eu não consegui perder, se posso dizer isso, porque recebi grandes bolas. Se você olhar na Copa de 2018, eu não recebi tantas bolas quanto esperava. Mas são tipos diferentes de jogos. Agora é bom para a confiança para o próximo jogo", afirmou.

Sobre o discurso de Didier Deschamps ao elenco após o mau começo, Giroud disse que o treinador pediu para os jogadores colocarem o despertador antes do jogo.

O meio-campista Rabiot também elogiou o desempenho de sua seleção. "A equipe e eu nos sentimos muito bem hoje. Apesar de termos tido vários desfalques de jogadores machucados, conseguimos começar muito bem a competição. Isso é o mais importante. Temos de continuar assim."

A nota triste do duelo foi a lesão do lateral esquerdo Lucas Hernández logo no início, no lance do gol australiano. Ele torceu o joelho direito e passará por exames nesta quarta-feira (23). Deschamps está pessimista e diz que há grande chance de o atleta ser mais um cortado.

"Ele tem que fazer exames, mas me parece muito grave", disse o comandante após a partida. "Será necessário confirmar de qualquer maneira, mas é o grande ponto negro desta noite."

Giroud dedicou a vitória ao companheiro após a partida. "Estamos muito tristes por estar perdendo mais um companheiro na competição. Gostaria de dedicar o resultado ao Lucky."

Antes da Copa, a seleção francesa, atual campeã mundial, perdeu Kamara, Maignan, Paul Pogba, Kanté, Kimpembe, Nkunku e Benzema, todos machucados. Se confirmada a gravidade da lesão de Hernández, o treinador ficará com um atleta a menos à disposição, uma vez que só pode convocar um substituto até 24 horas antes do primeiro jogo do Mundial.