SÃO PAULO, SP (UOL - FOLHAPRESS) - O Uruguai estreia nesta quinta-feira na Copa do Mundo de 2022, às 10h (horário de Brasília), diante da Coreia do Sul, no estádio Cidade da Educação, em Doha, no Qatar. O jogo válido pela 1ª rodada do Grupo H é o que mais preocupa o Barcelona neste começo de Mundial. Com 17 jogadores convocados por diferentes seleções, as atenções do clube catalão estão voltadas para um atleta específico.

O defensor Ronald Araújo sofreu uma grave lesão muscular na coxa direita, em 24 de setembro, motivo pelo qual até foi submetido a uma cirurgia. De acordo com o departamento médico do Barcelona, a estimativa inicial para a recuperação do atleta era de pelo menos oito semanas. O que chegou a colocar em dúvida a presença do zagueiro que também atua como lateral-direito na Copa do Mundo.

De acordo com o jornal Marca, da Espanha, os profissionais do clube Culé temem que a seleção uruguaia acelere o retorno do jogador aos gramados e coloque em risco todo o tratamento feito nas últimas semanas. Tanto que dirigentes do Barcelona pediram para que a AUF - Associação Uruguaia de Futebol - assinasse um documento se comprometendo a não utilizar Ronald Araújo nas primeiras partidas da Copa do Mundo. No entanto, segundo o periódico espanhol, o pedido do Barça foi recusado e o clube avisou que vai denunciar os uruguaios na Fifa, caso o defensor esteja em campo nos próximos dias.

O treinador do Uruguai, Diego Alonso, foi perguntado sobre o assunto e não deu uma posição concreta sobre o assunto. Afinal de contas, Ronald Araújo vai jogar diante da Coreia do Sul ou não?

"Em princípio, Ronald vem trabalhando melhor a cada dia, vem evoluindo. O corpo é o que vai nos dizer quando ele está em forma. Ele vem evoluindo e nos sentimos muito felizes com a forma como ele está", despistou Diego Alonso.