SÃO PAULO, SP (UOL - FOLHAPRESS) - Dois torcedores ingleses foram impedidos de entrar no Estádio Internacional Khalifa na última segunda-feira (21) por estarem vestidos como cavaleiros medievais. Agora, os fãs da seleção inglesa estão sendo orientados a não usarem roupas do tipo.

De acordo com o jornal inglês "Metro", antes do início do Mundial, a instituição "Kick It Out", que trabalha contra a discriminação já havia avisado os torcedores ingleses que fantasias de cavaleiros ou cruzados seriam consideradas ofensivas em um país de maioria muçulmana.

Há uma tradição entre alguns torcedores ingleses - não só no futebol - de vestir armaduras, e portar espadas de brinquedos, além de levar escudos com a cruz de São Jorge para as partidas.

"Nós gostaríamos de avisar os torcedores que foram aos jogos da Copa do Mundo que certas vestimentas, como armaduras representando cavaleiros ou cruzados talvez não sejam bem recebidas no Qatar e em outros países islâmicos", advertiu a "Kick It Up" após o incidente no Qatar.

Iman Atta, diretor do Tell Mama, um projeto britânico que monitora atos de preconceito contra muçulmanos endossou a posição da "Kick It Up", acrescentando que, além das fantasias, outras atitudes como o consumo de bebidas alcoólicas em público também pode ser ofensivo aos qataris.

"Nós entendemos que essas coisas não são feitas pelos ingleses para irritar os cidadãos locais, mas acreditamos que, por princípio, qualquer Copa do Mundo deve ter um ambiente em que os fãs possam vestir o que quiserem e ficar confortáveis. Apesar disso, no Qatar, as pessoas devem estar cientes dessa sensibilidade", declarou.

A despeito do incidente, os torcedores ingleses estão otimistas com a seleção do país, que goleou o Irã por 6 a 2 na primeira rodada da Copa do Mundo.

Os ingleses lideram o Grupo B, com três pontos. Estados Unidos e País de Gales, com um ponto cada, estão empatados na segunda posição, enquanto o Irã é o quarto colocado.

Na próxima rodada, a Inglaterra encara os Estados Unidos. As equipes entram em campo nesta sexta-feira (25), às 16h (de Brasília).