DOHA, QATAR (FOLHAPRESS) - Após cavar um pênalti, Cristiano Ronaldo pegou a bola, deu-lhe um beijo e junto com ela foi fazer o que sabe de melhor. Aos 20 minutos do segundo tempo do duelo contra Gana, o português se tornou nesta quinta-feira (24) o primeiro jogador da história a marcar em cinco edições de Copas do Mundo.

Com o pênalti convertido por ele, além dos gols marcados por João Félix e Rafael Leão aos 32 e aos 34 também da etapa final, Portugal estreou no Qatar com uma vitória por 3 a 2. Andre Ayew e Bukari marcaram por Gana.

Ao balançar a rede no estádio 974, em Doha, o camisa 7 português deixa para trás Pelé, o argentino Lionel Messi, além dos alemães Miroslav Klose e Uwe Seeler. Todos eles marcaram em quatro edições de Mundiais.

Pelé, por exemplo, marcou em 1958, 1962, 1966 e 1970, enquanto o craque argentino balançou as redes em 2006, 2014, 2018 e também na estreia da Argentina neste ano, na derrota para a Arábia Saudita, por 2 a 1.

Ao todo, o camisa 7 português soma, agora, oito gols na história das Copas: um na Alemanha (2006), um na África do Sul (2010), dois no Brasil (2014), três na Rússia (2018) e um no Qatar (2022).

O triunfo deixa a seleção europeia em boa situação no Grupo H, uma vez que Uruguai e Coreia do Sul ficaram num empate sem gols, horas antes do confronto no estádio 974.

Foi o segundo confronto entre Gana e Portugal na história das Copas. No primeiro, em 2014, os europeus venceram por 2 a 1, sendo um dos gols justamente de Cristiano Ronaldo.

Assim que a bola rolou, aliás, o atacante já acumulou mais uma marca para seu currículo. Ele entrou para um seleto grupo de atletas com cinco Copas.

Fazem parte dessa lista os mexicanos Antonio Carbajal (1950-1962) e Rafael Márquez (2002-18), o alemão Lothar Matthäus (1982-98), o italiano Gianluigi Buffon (1998-2014), além de nomes que também entraram neste Mundial: o argentino Lionel Messi (2006-2022) e os mexicanos Andrés Guardado e Guillermo Ochoa (2006-2022).

Mas essa marca estava longe de ser a única que o craque buscava no Qatar. No primeiro tempo, ele foi quem mais tentou balançar a rede. Até conseguiu, aos 30 minutos, mas o lance foi anulado porque o árbitro entendeu que ele cometeu uma falta na origem da jogada.

Depois de um primeiro tempo movimentado, mas sem gols, a etapa final teve cinco bolas na rede. Primeiro, Cristiano Ronaldo abriu o placar de pênalti, aos 20 minutos. Ayew empatou logo em seguida, aos 28. Mas João Félix, aos 33 e Rafael Leão, aos 35, colocaram os portugueses em vantagem.

Antes do fim, houve tempo apenas para Bukari descontar, aos 44 minutos.

*

PORTUGAL

Diogo Costa; João Cancelo, Rúben Dias, Danilo Pereira e Raphael Guerreiro; Rúben Neves (Rafael Leão), Bruno Fernandes e Bernardo Silva (João Palhinha); Otávio (William Carvalho), João Félix (João Mário) e Cristiano Ronaldo (Gonçalo Ramos). T.: Fernando Santos.

GANA

Ati-Zigi; Seidu (Tariq Lamptey), Djiku, Amartey, Salisu e Baba; Partey, Abdul-Samed, Kudus (Osman Buakri) e André Ayew (Jordan Ayew); Iñaki Williams. T.: Otto Addo.

Estádio: 974, em Doha (Qatar)

Horário: Às 13h (de Brasília) desta quinta-feira (24)

Árbitro: Ilsmail Elfath (Estados Unidos)

Auxiliares: Kyle Atkins (Estados Unidos) e Corey Parker (Estados Unidos)

VAR: Armando Villarreal (Estados Unidos)

Gols: Cristiano Ronaldo, 19' aos 2° T, e João Félix, aos 32' do 2° T (Portugal), Rafael Leão, aos 34' do 2° T. André Aywe, aos 27' do 2° T, e Osman Bukari, aos 43' do 2° T

Cartões amarelos: Andre Ayew, Iñaki Williams, Kudus Mohammed, Alidu Seidu (Gana). Danilo Pereira e Bruno Fernandes (Portugal)