SÃO PAULO, SP, E BARCELONA, ESPANHA (UOL-FOLHAPRESS) - Preso provisoriamente desde a última sexta-feira (20), acusado de agressão sexual a uma mulher em uma boate em Barcelona, no fim do ano passado, Daniel Alves ganhou o reforço de um famoso advogado em sua equipe de defesa. A atuação de Cristóbal Martell Pérez-Alcalde indica uma guinada na estratégia do jogador diante da Justiça espanhola.

Martell já trabalhou em muitos casos conhecidos na Espanha. Em boa parte deles, a ação teve o objetivo de firmar acordos judiciais ou extrajudiciais que amenizassem os danos para os clientes, alguns antes mesmo do julgamento.

O caso de Daniel Alves é tratado como delicado em razão de suas contradições em depoimento, das evidências e das declarações contundentes da denunciante.

Assim, uma das estratégias da defesa passa a ser, num segundo momento, costurar um acordo ou suavizar a pena que pode chegar na Espanha a até 12 anos para crimes de agressão sexual com violação, o estupro. Há outros possíveis crimes em investigação.

Cristóbal Martell, em parceria com a advogada Miraida Puente Wilson, prepara o recurso que pede revisão da prisão provisória e liberdade condicional para ser apresentado nesta quarta. A data limite é quinta.

O objetivo é tirar Dani Alves da penitenciária Brians 2 o mais rápido possível em troca de outras medidas, como fiança, retenção de passaporte para evitar que ele deixe a Espanha ou prisão domiciliar.

Miraida Puente Wilson foi a primeira advogada à frente do caso, mas sua atuação desagradou familiares, amigos e parte do estafe de Daniel Alves porque ela é uma profissional mais generalista, não especializada em Direito Penal. Miraida trabalha com burocracias sobre vistos de estrangeiros, impostos de renda e questões de família e tem a confiança de Dinorah Santana, ex-mulher e administradora dos negócios do jogador.

Dinorah ganhou a queda de braço e sua advogada de confiança foi mantida na defesa de Dani Alves, mas Cristóbal Martell foi contratado para reforçar a equipe. Ele é criminalista e trabalhou em muitos casos midiáticos na Espanha. Um dos exemplos é ter defendido Messi quando o argentino foi acusado de sonegar impostos.

Por colaborar com as investigações e devolver para a Fazenda parte dos recursos que não foram declarados, Messi e seu pai tiveram penas abrandadas. No ano seguinte, a denúncia foi arquivada e o jogador não precisou pagar a multa milionária que tinha sido firmada.

Além do caso de Messi, Martell defendeu o Barcelona contra Neymar. Em 2016, o clube foi denunciado por fraudes fiscais na contratação do jogador brasileiro três anos antes, além de questões trabalhistas e civis. O advogado costurou um acordo entre as partes sobre quatro processos que foi considerado "amistoso".

OOUTRAS CURIOSIDADES SOBRE O ADVOGADO DE DANIEL ALVES:

Cristóbal Martell tem entrada em diferentes círculos de poder, em todo o espectro ideológico do país: defendeu políticos do PP (Partido Popular, o mais tradicional da direita espanhola) no "Caso Gurthel", um dos maiores esquemas de corrupção da história do país, e também teve como cliente Jordi Pujol, presidente da Catalunha entre 1980 e 2003.

Nasceu na Venezuela e é filho de um advogado que prestava serviços diplomáticos por lá. Estudou em colégio alemão e fala quatro idiomas (alemão, inglês, espanhol e catalão).

É professor do Mestrado em Direito Penal da Universitat Abat Oliba CEU, uma das mais conceituadas de Barcelona.

É conhecido por ter memória privilegiada e formação sólida, sendo uma das maiores referências em Direito Penal da Espanha. Porém, não gosta de aparecer na imprensa ou dar entrevistas.

COMO DENUNCIAR VIOLÊNCIA SEXUAL

Vítimas de violência sexual não precisam registrar boletim de ocorrência para receber atendimento médico e psicológico no sistema público de saúde, mas o exame de corpo de delito só pode ser realizado com o boletim de ocorrência em mãos. O exame pode apontar provas que auxiliem na acusação durante um processo judicial, e podem ser feitos a qualquer tempo depois do crime. Mas por se tratar de provas que podem desaparecer, caso seja feito, recomenda-se que seja o mais próximo possível da data do crime.

Em casos flagrantes de violência sexual, o 190, da Polícia Militar, é o melhor número para ligar e denunciar a agressão. Policiais militares em patrulhamento também podem ser acionados. O Ligue 180 também recebe denúncias, mas não casos em flagrante, de violência doméstica, além de orientar e encaminhar o melhor serviço de acolhimento na cidade da vítima. O serviço também pode ser acionado pelo WhatsApp (61) 99656-5008.

Legalmente, vítimas de estupro podem buscar qualquer hospital com atendimento de ginecologia e obstetrícia para tomar medicação de prevenção de infecção sexualmente transmissível, ter atendimento psicológico e fazer interrupção da gestação legalmente. Na prática, nem todos os hospitais fazem o atendimento. Para aborto, confira neste site as unidades que realmente auxiliam as vítimas de estupro.