SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As ameaças nucleares de Vladimir Putin são parte de uma tentativa desesperada de justificar o "catastrófico" fracasso russo na Ucrânia, disse a primeira-ministra britânica Liz Truss nesta quarta-feira (20), em seu primeiro grande pronunciamento em um palco internacional desde que assumiu o cargo.

Truss elogiou o "propósito coletivo" em resposta à invasão da Ucrânia, destacando que a ajuda ao país não pode parar. Ela prometeu que o Reino Unido vai gastar 3% do PIB em defesa até 2030, por motivos como a atual guerra, entre outros.

"Os ucranianos não estão somente defendendo seu próprio país. Eles estão defendendo nossos valores e a segurança de todo o mundo", afirmou ela, ligando a resistência ucraniana à defesa da democracia ?outro tema que permeou seu discurso.

Truss lembrou ainda a morte da rainha Elizabeth 2ª, uma figura que segundo ela simbolizava os mesmos valores das Nações Unidas quando a organização foi fundada, após a Segunda Guerra. A ONU representava "o fim da agressividade" e ajudou a "levar a estabilidade e a segurança para boa parte do mundo", afirmou Truss, além de ser a arena onde os países trabalhavam em conjunto para solucionar desafios em comum.

A primeira-ministra também se comprometeu com o crescimento da economia do Reino Unido, afirmando que o objetivo a longo prazo é crescer 2,5% ao ano, e mostrou preocupação com os preços da energia.