SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) diz que fica "feliz e agradecido" com os apoios que vem recebendo na reta final das eleições no mesmo dia em que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) divulgou nota pedindo voto em favor de candidatos que defendam as instituições, a ciência e a diversidade, em recado velado contra a reeleição de Jair Bolsonaro (PL).

O tucano não recomenda o voto em nenhum candidato e não cita Bolsonaro nominalmente.

"Todo o apoio que vier para a gente levar essa eleição logo, eu acho que é melhor para todo mundo. Agradeço as pessoas que estão demonstrando confiança agora. Fico feliz, obviamente, agradecido, e espero que mais gente saiba o que está acontecendo no Brasil e que mais gente se defina", afirmou o petista nesta quinta-feira (22).

Segundo o ex-presidente petista, a sua chapa, com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) como vice, é "efetivamente a chapa que pode ser eleita e recuperar o país".

Aliados do ex-presidente Lula comemoraram a nota de FHC.

Coordenador de programa de Lula, Aloizio Mercadante afirmou que "para bom entendedor, meia palavra basta."

Coordenador de finanças da campanha de Lula, Márcio Macedo afirma, por sua vez, ter interpretado o post divulgado nas redes sociais de FHC como uma manifestação de apoio a Lula.

Segundo Macedo, a publicação de FHC descreve a trajetória de Lula e o significado da candidatura do petista.

Na postagem, FHC pediu que eleitores votem "em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual, se orgulha da diversidade cultural da nação brasileira, valoriza a educação e a ciência e está empenhado na preservação de nosso patrimônio ambiental, no fortalecimento das instituições que asseguram nossas liberdades e no restabelecimento do papel histórico do Brasil no cenário internacional".

Para Macedo, "ali está a história de Lula". Na opinião do tesoureira da campanha petista, FHC foi, no entanto, respeitoso com o PSDB, que apoia formalmente a candidatura da senadora Simone Tebet. Por isso, FHC não teria citado o nome de Lula.

Coordenador de comunicação da campanha, o prefeito de Araraquara, Edinho Silva, diz que "a manifestação do Presidente Fernando Henrique Cardoso é coerente com a sua história de vida e com o seu legado".

Para Edinho, a nota é muito boa. "Nunca foi tão importante a unidade dos democratas na defesa do Brasil. No dia 2 o nosso povo terá que fazer a escolha entre o Brasil moderno ou a barbárie, entre civilidade ou fascismo, em um momento histórico como esse não cabe omissão", disse Edinho Silva.

Desde a semana passada, petistas esperavam uma manifestação de apoio de FHC. Segundo aliados do tucano, emissários de Lula chegaram a solicitar um encontro com FHC. Mas não foi possível viabilizar essa cobiçada fotografia.