SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Membros da gestão Rodrigo Garcia (PSDB) fizeram campanha para a reeleição do tucano durante evento oficial do Governo de São Paulo em Caçapava, interior do estado, nesta sexta-feira (23).

Secretário de Governo, Marcos Penido fez críticas a Fernando Haddad (PT) e Tarcísio de Freitas (Republicanos), ainda que sem citá-los nominalmente.

"São Paulo necessita ter no comando quem conheça nosso estado, quem saiba as peculiaridades de cada um dos municípios. Temos gente que já teve oportunidade de ser prefeito da capital e não conseguiu ser bom prefeito. Que agora promete fazer como governador aquilo que não conseguiu fazer como prefeito", disse Penido, em referência ao petista, diante de uma plateia em evento de entrega de títulos de regularização fundiária.

"De outro lado, temos gente que infelizmente não sabe nem em que escola vai votar. E vai dizer que quer comandar São Paulo. Vindo de fora, sem saber onde fica Caçapava e quais são as necessidades do povo que mora em Caçapava. Não precisamos que ninguém de fora venha dizer como nós de São Paulo temos que trabalhar. Nós somos paulistas, amamos a nossa terra e sabemos aquilo que precisamos. Que as pessoas de fora cuidem cada uma de seu terreiro. Dentro do nosso terreiro cuidamos nós", completou, em menção ao ex-ministro bolsonarista.

"Pedimos em oração que o Rodrigo tenha muita saúde, muita paz, e que Deus ilumine o seu destino, hoje numa atuação brilhante, e que Deus permita que ele possa continuar", disse o gerente regional da CDHU Francisco de Assis Vieira Filho, conhecido como Chesco.

As falas de Penido e Chesco podem ter infringido o artigo 73 da lei 9.504/1997, que veda o uso da máquina pública em benefício de candidato, partido ou coligação.

Em nota, o Governo de São Paulo diz que Penido "só reproduziu informações já divulgadas na imprensa, sem qualquer infração a Lei Eleitoral".

"Não houve pedido de voto para qualquer candidato. Portanto, não há infração eleitoral", diz o texto.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (22) mostrou Fernando Haddad (PT) na liderança, com 34% das intenções de voto, seguido por Tarcísio, com 23%, e Garcia, com 19%.