Sexta-feira, 12 de agosto de 2011, atualizada às 19h19

Abertura de licitação de linhas de ônibus interestaduais pode provocar queda no valor da tarifa

Aline Furtado
Repórter
Estrada

O governo anunciou, nos últimos dias, que abrirá licitação para todas as linhas de ônibus interestaduais. A medida será tomada a fim de estimular o transporte terrestre frente à troca significativa, feita pelos passageiros, que têm optado pelo transporte aéreo.

A expectativa é que, com as novas regras, a tarifa apresente redução em 85% das linhas, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A licitação vem mudar o quadro que vem ocorrendo desde 2008, com as empresas atuando baseadas em autorizações especiais. A previsão é que o processo licitatório tenha início em 2012. As linhas de curta distância devem ser leiloadas no segundo semestre.

Atualmente, a tarifa é de R$ 0,12 por quilômetro. A previsão, segundo a ANTT, é que o preço caia para R$ 0,03 em alguns lotes. Outra regra prevista na mudança é a idade máxima de dez anos para os ônibus em circulação. A frota cadastrada no país é de 16.326 ônibus, com idade média de 14 anos. Segundo a ANTT, 60% dos veículos possuem menos de dez anos.

A demanda nacional é de 7 mil veículos e a agência afirma que existem ônibus com menos de dez anos suficientes para atender a essa norma, que deve entrar em vigor a partir da metade de 2012. Ainda existem exigências do governo quanto a pontos de parada com acessibilidade e adequados para lanche, compra de bilhetes pela internet e acompanhamento on-line de horários e localização dos veículos.

Para o gerente comercial de uma empresa de ônibus que atua em linhas que ligam cidades de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, Marcos Amorim, a novidade é bem-vinda. "Atuamos há mais de vinte anos e pretendemos continuar explorando o trecho. Com isso, nossa intenção é aprimorar os serviços oferecidos, tendo como base as novas regras." Para ele, as licitações e a consequente baixa nos preços deverá atrair mais passageiros.

O também gerente de outra empresa de ônibus, Emanuel Clemente Rodrigues, destaca que a concorrência entre transporte terrestre e aéreo deverá ocorrer em função da modernização da frota. "Com isso, será possível melhorar os serviços, o que é diferencial para nosso passageiro." A empresa tem linhas que interligam cidades de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, além do Distrito Federal. "Pretendemos nos adequar no que for preciso, para garantir nossa operação", destaca Rodrigues, afirmando que a empresa presta serviços de transporte desde 1950, chegando a transportar aproximadamente 120 mil passageiros por mês.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.