Quinta-feira, 03 de julho de 2008, atualizada ?s 13h

Apenas um interessado comparece na licita??o dos terrenos realizada pela Prefeitura, mas a venda n?o foi concretizada



Daniele Gruppi
Rep?rter

A Prefeitura de Juiz de Fora agendou para a manh? desta quinta-feira, dia 03 de junho, a licita??o para a venda de terrenos do munic?pio. Entretanto, apenas um interessado compareceu, sendo que estava sem as documenta?es exigidas para a concretiza??o do neg?cio.

A assessoria de comunica??o do ?rg?o informou que o prefeito Jos? Eduardo Ara?jo pretende reavaliar o processo do leil?o antes de remarcar uma nova data. A Prefeitura conseguiu efetivar apenas uma venda, dos 25 terrenos disponibilizados, arrecadando R$ 43.800. O espa?o est? localizado no bairro Barbosa Lage.

A Prefeitura divulgou que a verba seria destinada para a constru??o do hospital da Zona Norte. O ?rg?o enviou tamb?m uma Mensagem para a C?mara Municipal propondo que parte dos recursos fossem destinados ?s indeniza?es dos moradores que tiveram suas casas demolidas no Bairro Santa Tereza.

Segundo a assessoria da C?mara, o projeto ainda n?o foi votado. Ele se encontra na procuradoria, encaminhado pela Comiss?o de Legisla??o e Justi?a, que solicitou um parecer sobre a legalidade da proposta.

Moradores de Santa Tereza solicitam audi?ncia

Moradores do bairro Santa Tereza solicitam audi?ncia com o prefeito Jos? Eduardo e com o Minist?rio P?blico. O presidente da Associa??o dos Propriet?rios e Inquilinos das Casas Interditadas e Demolidas pela Prefeitura Reinaldo Recepute Freesz afirma que h? dez dias protocolou o pedido.

A Prefeitura decretou em mar?o estado de emerg?ncia na cidade, devido aos estragos causados pela chuva no bairro Santa Tereza. Cerca de dez casas foram demolidas. Quatro meses depois, moradores cobram uma posi??o do prefeito.

O laudo t?cnico do Instituto de Criminal?stica da Pol?cia Civil de Minas Gerais apontou fen?meno natural associado ? interven??o humana. "N?o tivemos acesso ? conclus?o da per?cia, s? atrav?s de divulga??o da imprensa. Mas, entendemos que obras de abertura de vias e de infra-estrutura contribu?ram para o acontecimento. N?o fizemos obras irregulares, n?o invadimos nenhuma ?rea. A prefeitura autorizou".

Freesz declara que os moradores gostariam que a situa??o fosse resolvida extra-judicialmente. "Pretendemos tamb?m contratar um ge?logo para estudar o laudo".