Juan Camara Juan Câmara 12/11/2013

Microapartamento é tendência mundial

microapartamentoOs microapartamentos tornaram-se tendência mundial e são considerados por muitos a nova forma de morar do século 21. Realidade presente nas grandes metrópoles como Tóquio, Hong Kong e Nova Iorque, o surgimento destes empreendimentos suprem uma demanda decorrente da escassez de terrenos e a necessidade de adensamento urbano, principalmente nas áreas centrais.

A verdade é que os imóveis estão ficando cada vez menores. O encolhimento é efeito das mudanças sociais como a diminuição do núcleo familiar, formado hoje por casais com no máximo dois filhos, aumento no número de solteiros morando sozinhos e envelhecimento da população, que amplia o número de pessoas da terceira idade morando sozinhas.

Diante das mudanças mercadológicas, incorporadores desafiam arquitetos a projetarem microapartamentos de 22m² a 32m². Em Nova York, o prefeito Michael Bloomberg lançou o concurso arquitetônico "adAPT" focado em soluções criativas para microapartamentos. Os projetos vencedores foram expostos no Museu de Nova York, a fim de fomentar a discussão sobre a nova demanda de moradia do século 21. Porém, uma menor metragem das unidades não significa necessariamente um menor conforto aos moradores. A falta de espaço pode ser compensada com um bom planejamento e soluções projetuais para otimização do espaço como o uso de mobiliário multifuncional, sendo articulado ou dobrável que permitem mudanças rápidas de layout dos ambientes.

No Brasil, o conceito de microapartamentos começa a surgir na cidade de São Paulo, trazido por empresas multinacionais, que tem como públicos-alvo executivos e estudantes motivados em morar principalmente nas regiões centrais da cidade, em um apartamento que exige pouca manutenção e adaptados ao modo de vida contemporâneo, sendo uma boa opção para aquisição do primeiro imóvel. Muitos destes empreendimentos são ofertados como opções de investimentos onde os compradores podem alugar para os próprios executivos e estudantes.


Juan Câmara é Arquiteto e Urbanista pelo CES/JF – PUC/MG. Pós-graduado em CBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC e Pós-graduando em Master em Arquitetura pelo IPOG/BH. Sócio-Diretor do escritório MXT | Arquitetura + Design, responsável pela criação e implementação de projetos de arquitetura e design. Saiba mais clicando aqui.

Juan Camara Juan Câmara 12/11/2013

Microapartamento é tendência mundial

microapartamentoOs microapartamentos tornaram-se tendência mundial e são considerados por muitos a nova forma de morar do século 21. Realidade presente nas grandes metrópoles como Tóquio, Hong Kong e Nova Iorque, o surgimento destes empreendimentos suprem uma demanda decorrente da escassez de terrenos e a necessidade de adensamento urbano, principalmente nas áreas centrais.

A verdade é que os imóveis estão ficando cada vez menores. O encolhimento é efeito das mudanças sociais como a diminuição do núcleo familiar, formado hoje por casais com no máximo dois filhos, aumento no número de solteiros morando sozinhos e envelhecimento da população, que amplia o número de pessoas da terceira idade morando sozinhas.

Diante das mudanças mercadológicas, incorporadores desafiam arquitetos a projetarem microapartamentos de 22m² a 32m². Em Nova York, o prefeito Michael Bloomberg lançou o concurso arquitetônico "adAPT" focado em soluções criativas para microapartamentos. Os projetos vencedores foram expostos no Museu de Nova York, a fim de fomentar a discussão sobre a nova demanda de moradia do século 21. Porém, uma menor metragem das unidades não significa necessariamente um menor conforto aos moradores. A falta de espaço pode ser compensada com um bom planejamento e soluções projetuais para otimização do espaço como o uso de mobiliário multifuncional, sendo articulado ou dobrável que permitem mudanças rápidas de layout dos ambientes.

No Brasil, o conceito de microapartamentos começa a surgir na cidade de São Paulo, trazido por empresas multinacionais, que tem como públicos-alvo executivos e estudantes motivados em morar principalmente nas regiões centrais da cidade, em um apartamento que exige pouca manutenção e adaptados ao modo de vida contemporâneo, sendo uma boa opção para aquisição do primeiro imóvel. Muitos destes empreendimentos são ofertados como opções de investimentos onde os compradores podem alugar para os próprios executivos e estudantes.


Juan Câmara é Arquiteto e Urbanista pelo CES/JF – PUC/MG. Pós-graduado em CBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC e Pós-graduando em Master em Arquitetura pelo IPOG/BH. Sócio-Diretor do escritório MXT | Arquitetura + Design, responsável pela criação e implementação de projetos de arquitetura e design. Saiba mais clicando aqui.

-
Juan Camara Juan Câmara 12/11/2013

Microapartamento é tendência mundial

microapartamentoOs microapartamentos tornaram-se tendência mundial e são considerados por muitos a nova forma de morar do século 21. Realidade presente nas grandes metrópoles como Tóquio, Hong Kong e Nova Iorque, o surgimento destes empreendimentos suprem uma demanda decorrente da escassez de terrenos e a necessidade de adensamento urbano, principalmente nas áreas centrais.

A verdade é que os imóveis estão ficando cada vez menores. O encolhimento é efeito das mudanças sociais como a diminuição do núcleo familiar, formado hoje por casais com no máximo dois filhos, aumento no número de solteiros morando sozinhos e envelhecimento da população, que amplia o número de pessoas da terceira idade morando sozinhas.

Diante das mudanças mercadológicas, incorporadores desafiam arquitetos a projetarem microapartamentos de 22m² a 32m². Em Nova York, o prefeito Michael Bloomberg lançou o concurso arquitetônico "adAPT" focado em soluções criativas para microapartamentos. Os projetos vencedores foram expostos no Museu de Nova York, a fim de fomentar a discussão sobre a nova demanda de moradia do século 21. Porém, uma menor metragem das unidades não significa necessariamente um menor conforto aos moradores. A falta de espaço pode ser compensada com um bom planejamento e soluções projetuais para otimização do espaço como o uso de mobiliário multifuncional, sendo articulado ou dobrável que permitem mudanças rápidas de layout dos ambientes.

No Brasil, o conceito de microapartamentos começa a surgir na cidade de São Paulo, trazido por empresas multinacionais, que tem como públicos-alvo executivos e estudantes motivados em morar principalmente nas regiões centrais da cidade, em um apartamento que exige pouca manutenção e adaptados ao modo de vida contemporâneo, sendo uma boa opção para aquisição do primeiro imóvel. Muitos destes empreendimentos são ofertados como opções de investimentos onde os compradores podem alugar para os próprios executivos e estudantes.


Juan Câmara é Arquiteto e Urbanista pelo CES/JF – PUC/MG. Pós-graduado em CBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC e Pós-graduando em Master em Arquitetura pelo IPOG/BH. Sócio-Diretor do escritório MXT | Arquitetura + Design, responsável pela criação e implementação de projetos de arquitetura e design. Saiba mais clicando aqui.