Dermatologistas alertam:
o câncer de pele chega junto com o verão

26/01/99

Sol de janeiro, férias, praia lotada, pessoas bronzedas. É aí que começa um problema que vem crescendo a cada dia: o câncer de pele. O homem sempre esteve exposto ao sol por força do trabalho ou do lazer. Hoje, porém, essa exposição pode levar à doença, que corresponde a aproximadamente 30% dos casos de câncer em ambos os sexos.

Fenômenos climáticos estão sendo estudados e cientistas constatam que a destruição cada vez mais rápida da camada de ozônio vêm sendo fatal. Isto ocorre devido à poluição ou uso de elementos químicos em excesso.

As radiações produzidas pelo sol, ao mesmo tempo que bronzeiam, queimam a pele, causando lesões, tumores cancerígenos e envelhecimento precoce. São raios ultra-violetas, cujos tipos mais prejudiciais são o A (UVA) e B (UVB).

A dermatologista Vânia Piccinini explica que a pele funciona como um "arquivo". Cada momento de exposição ao sol fica na sua " memória", acumulando danos como uma poupança, na qual o pagamento vem mais tarde, através de problemas na pele. As áreas mais expostas ao sol, como rosto, pescoço, nuca e antebraços têm mais chances de desenvolver a doença por "acumularem" mais sol. O câncer de pele aparece com mais freqüência, a partir dos trinta anos

Verdades e mentiras

É inútil se iludir: quem tem pele morena ou negra não corre menos riscos do que os branquinhos, garantem os dermatologistas. A prevenção deve ser igual para todo tipo de pele, mesmo em dias nublados.

As cabines de luz artificial são um risco para saúde da pele. Elas utilizam os raios UVA e chegam a emitir o dobro da radiação solar. Os raios atingem a derme onde estão o colágeno e a elastina, responsáveis pelo envelhecimento e reações alérgicas.

Os raios solares atravessam nuvens, água, guarda-sol, blusas, chapéu, camisetas, principalmente se forem de cores claras e malha.

Anote as recomendações para não entrar em fria no verão:

  • Evite exposição solar entre 10hs e 15hs;
  • Use creme fotoprotetor de FPS 15, no mínimo, e reaplique-o após mergulho ou suor;
  • Complemente a proteção solar através de óculos de sol, camiseta, chapéu ou guarda-sol;
  • Evite sempre o bronzeamento deliberado, seja através do sol ou fontes artificiais de ultra-violeta;
  • Examine sua pele regularmente. Reconhecendo sinais de tumor procure um médico.

O que tem sido feito para a prevenção e diminuição da doença?

A Sociedade Brasileira de Dermatologia promove anualmente a "Campanha Nacional de Educação e Prevenção do Câncer de Pele". O objetivo é: detectar o problema através de um exame rápido, realizado por dermatologistas, informando e educando a população em geral. Além dos diagnósticos gratuitos, um novo ingrediente foi acrescentado à campanha desse ano: a educação na infância e juventude, visando a criação de novas posturas e comportamentos. Prevenir na infância evita problemas futuros. O diagnóstico e o tratamento precoce levam à cura em praticamente 100% dos casos.

A VII Campanha começou em novembro, em todo o brasil, e acontece durante todo o verão. Em Juiz de fora, a Sociedade Brasileira de Dermatologia-MG, convoca as pessoas que tenham verrugas, pintas que mudam de cor, sangrem ou aumentem de tamanho, feridas que não cicatrizam, ou lesões suspeitas, a comparecerem nos locais de atendimento da campanha:

Os médicos esclarecem, que outras doenças de pele como acne, micose, queda de cabelos, etc, não serão atendidas.

Colaboração: Juliana Millen,
estudante do quinto período
da Faculdade de Comunicação Social da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.