Segunda-feira, 19 de dezembro de 2011, atualizada às 16h24

Processo licitatório para revitalização do Parque da Lajinha ocorre nesta terça-feira

Aline Furtado
Repórter
Parque da Lajinha

Será realizado nesta terça-feira, 20 de dezembro, o processo licitatório para contratação da empresa que ficará responsável pelas reformas, obras de infraestrutura e de paisagismo do Parque da Lajinha.

A empresa deve possuir disponibilidade de mão-de-obra, materiais, insumos e equipamentos necessários para o serviço. Os interessados podem obter o edital completo na CPL, mediante entrega de um CD. O edital também está disponível no site da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF).

O certame, que fica a cargo da Prefeitura, será realizado às 9h30 na Comissão Permanente de Licitação (CPL), situada na avenida Brasil 2001/4º andar. A revitalização foi anunciada em julho deste ano, durante visita do governador Antonio Anastasia à cidade. O valor da obra, que tem previsão de R$ 1.099.629,84, será custeado pelo governo do Estado e pelo município. A previsão é que a execução dure cerca de 150 dias.

Projeto

O foco do projeto é dotar o local de infraestrutura adequada para educação ambiental e lazer. A obra inclui a implantação de internet sem fio gratuita em todo o complexo. O objetivo é implementar o projeto de urbanização, paisagismo e infraestrutura; desenvolver atividades no local que promovam a sensibilização e a conscientização ambiental do público, além de desenvolver atividades com fins didático-científicos.

Todo o complexo será composto por Ecoteca, cujo acervo contará inicialmente com cerca de mil itens; Sala Verde, que consistirá num espaço socioambiental que atuará como potencial Centro de Informação e Formação Ambiental; Relógio de Sol Equinocial, com a otimização dos trabalhos educacionais junto ao instrumento astronômico inventado pelos egípcios; Arvorismo, que permitirá o uso de passarelas para se percorrer o ambiente das copas.

Além disso, o Viveiro, que consistirá num conjunto de benfeitorias e utensílios, no qual serão empregadas técnicas para possibilitar a produção eficaz de mudas; Orquidário, para cultivo das orquídeas nativas, raras e ameaçadas, e que servirá também como centro de pesquisa, disseminador de informações, cultura e atração turística para acidade; e um Borboletário, espaço para conscientizar as pessoas a respeito da conservação dos ecossistemas e o respeito pela nossa biodiversidade.

Outras obras estão previstas no projeto, como reflorestamento de algumas áreas, construção de um restaurante/lanchonete, que funcionará sob concessão pública; revitalização das trilhas; construção de decks nas duas extremidades do lago e colocação de fontes no local; área de lazer para crianças, entre outros. O parque receberá gramados de várias tonalidades de verde, mais de 40 espécies de árvores, além de três frutíferas, como o maracujá, a jabuticabeira e a amoreira.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Segunda-feira, 19 de dezembro de 2011, atualizada às 16h24

Processo licitatório para revitalização do Parque da Lajinha ocorre nesta terça-feira

Aline Furtado
Repórter
Parque da Lajinha

Será realizado nesta terça-feira, 20 de dezembro, o processo licitatório para contratação da empresa que ficará responsável pelas reformas, obras de infraestrutura e de paisagismo do Parque da Lajinha.

A empresa deve possuir disponibilidade de mão-de-obra, materiais, insumos e equipamentos necessários para o serviço. Os interessados podem obter o edital completo na CPL, mediante entrega de um CD. O edital também está disponível no site da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF).

O certame, que fica a cargo da Prefeitura, será realizado às 9h30 na Comissão Permanente de Licitação (CPL), situada na avenida Brasil 2001/4º andar. A revitalização foi anunciada em julho deste ano, durante visita do governador Antonio Anastasia à cidade. O valor da obra, que tem previsão de R$ 1.099.629,84, será custeado pelo governo do Estado e pelo município. A previsão é que a execução dure cerca de 150 dias.

Projeto

O foco do projeto é dotar o local de infraestrutura adequada para educação ambiental e lazer. A obra inclui a implantação de internet sem fio gratuita em todo o complexo. O objetivo é implementar o projeto de urbanização, paisagismo e infraestrutura; desenvolver atividades no local que promovam a sensibilização e a conscientização ambiental do público, além de desenvolver atividades com fins didático-científicos.

Todo o complexo será composto por Ecoteca, cujo acervo contará inicialmente com cerca de mil itens; Sala Verde, que consistirá num espaço socioambiental que atuará como potencial Centro de Informação e Formação Ambiental; Relógio de Sol Equinocial, com a otimização dos trabalhos educacionais junto ao instrumento astronômico inventado pelos egípcios; Arvorismo, que permitirá o uso de passarelas para se percorrer o ambiente das copas.

Além disso, o Viveiro, que consistirá num conjunto de benfeitorias e utensílios, no qual serão empregadas técnicas para possibilitar a produção eficaz de mudas; Orquidário, para cultivo das orquídeas nativas, raras e ameaçadas, e que servirá também como centro de pesquisa, disseminador de informações, cultura e atração turística para acidade; e um Borboletário, espaço para conscientizar as pessoas a respeito da conservação dos ecossistemas e o respeito pela nossa biodiversidade.

Outras obras estão previstas no projeto, como reflorestamento de algumas áreas, construção de um restaurante/lanchonete, que funcionará sob concessão pública; revitalização das trilhas; construção de decks nas duas extremidades do lago e colocação de fontes no local; área de lazer para crianças, entre outros. O parque receberá gramados de várias tonalidades de verde, mais de 40 espécies de árvores, além de três frutíferas, como o maracujá, a jabuticabeira e a amoreira.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

-
Segunda-feira, 19 de dezembro de 2011, atualizada às 16h24

Processo licitatório para revitalização do Parque da Lajinha ocorre nesta terça-feira

Aline Furtado
Repórter
Parque da Lajinha

Será realizado nesta terça-feira, 20 de dezembro, o processo licitatório para contratação da empresa que ficará responsável pelas reformas, obras de infraestrutura e de paisagismo do Parque da Lajinha.

A empresa deve possuir disponibilidade de mão-de-obra, materiais, insumos e equipamentos necessários para o serviço. Os interessados podem obter o edital completo na CPL, mediante entrega de um CD. O edital também está disponível no site da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF).

O certame, que fica a cargo da Prefeitura, será realizado às 9h30 na Comissão Permanente de Licitação (CPL), situada na avenida Brasil 2001/4º andar. A revitalização foi anunciada em julho deste ano, durante visita do governador Antonio Anastasia à cidade. O valor da obra, que tem previsão de R$ 1.099.629,84, será custeado pelo governo do Estado e pelo município. A previsão é que a execução dure cerca de 150 dias.

Projeto

O foco do projeto é dotar o local de infraestrutura adequada para educação ambiental e lazer. A obra inclui a implantação de internet sem fio gratuita em todo o complexo. O objetivo é implementar o projeto de urbanização, paisagismo e infraestrutura; desenvolver atividades no local que promovam a sensibilização e a conscientização ambiental do público, além de desenvolver atividades com fins didático-científicos.

Todo o complexo será composto por Ecoteca, cujo acervo contará inicialmente com cerca de mil itens; Sala Verde, que consistirá num espaço socioambiental que atuará como potencial Centro de Informação e Formação Ambiental; Relógio de Sol Equinocial, com a otimização dos trabalhos educacionais junto ao instrumento astronômico inventado pelos egípcios; Arvorismo, que permitirá o uso de passarelas para se percorrer o ambiente das copas.

Além disso, o Viveiro, que consistirá num conjunto de benfeitorias e utensílios, no qual serão empregadas técnicas para possibilitar a produção eficaz de mudas; Orquidário, para cultivo das orquídeas nativas, raras e ameaçadas, e que servirá também como centro de pesquisa, disseminador de informações, cultura e atração turística para acidade; e um Borboletário, espaço para conscientizar as pessoas a respeito da conservação dos ecossistemas e o respeito pela nossa biodiversidade.

Outras obras estão previstas no projeto, como reflorestamento de algumas áreas, construção de um restaurante/lanchonete, que funcionará sob concessão pública; revitalização das trilhas; construção de decks nas duas extremidades do lago e colocação de fontes no local; área de lazer para crianças, entre outros. O parque receberá gramados de várias tonalidades de verde, mais de 40 espécies de árvores, além de três frutíferas, como o maracujá, a jabuticabeira e a amoreira.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken