• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade
    Quarta-feira, 14 de setembro de 2011, atualizada às 12h53

    Em greve, trabalhadores dos Correios protestam no Centro

    Victor Machado
    *Colaboração
    Protesto dos Correios

    Os trabalhadores dos Correios em Juiz de Fora deflagraram greve nesta quarta-feira, 14 de setembro, por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Comunicação Postal, Telegráfica e Similares de Juiz de Fora e região (Sintect/JF) existem aproximadamente 400 funcionários da empresa na cidade e a adesão, no momento, está em cerca de 65 trabalhadores.

    Segundo presidente do Sintect/JF, João Ricardo Guedes, a adesão dos trabalhadores está acima do esperado para o início do movimento. Ele explica que, com o movimento, é possível que haja uma alteração no serviço dos Correios. "O serviço já está comprometido sem a greve. Com ela, é possível que fique ainda mais. Infelizmente, foi a única forma que encontramos de fazer frente à empresa."

    Na manhã desta quarta-feira, 14, o sindicato realizou um protesto em frente à agência dos Correios na rua Marechal e, no período da tarde, tentará paralisar o turno na agência da rua Espírito Santo. Guedes afirma que a negociação salarial com a empresa está emperrada. "Podemos dizer que ela não andou. Até o momento, a empresa não acenou com o acordo dentro do que pretendemos." A empresa estaria oferecendo reajuste de 6,8% e aumento linear de R$ 50 a ser pago a partir de janeiro de 2012. A proposta foi rejeitada e, dos 35 sindicatos dos trabalhadores nos Correios em todo o país, 34 aprovaram o movimento grevista.

    Guedes afirma que a categoria reivindica aumento real de salário de R$ 400, além da reposição da inflação entre agosto 2010 e julho de 2011, de 7,16%. Quer ainda a implantação de um piso salarial de R$ 1.635, o pagamento das perdas entre 1994 e 2002 de 24,76% e o reajuste do vale refeição de R$ 23 para R$ 30 e na cesta de R$ 130 para R$ 200. "Atualmente temos o pior salário das empresas estatais do país. Nosso piso é R$ 807", comenta o presidente do sindicato.

    Correios

    Em nota, os Correios afirmam que oferecem todas as condições necessárias para o fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho 2011/2012 e que a empresa tenta normalizar a situação, adotando medidas para garantir o atendimento à população, como contratação de recursos, realocação de pessoal, realização de horas extras e trabalho nos finais de semana.

    *Victor Machado é estudante do 8º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.