Teatro Paschoal Carlos Magno terá 400 assentos e dispositivos de acessibilidade

Por

Sexta-feira, 27 de agosto de 2010, atualizada às 18h45

Teatro Paschoal Carlos Magno terá 400 assentos e dispositivos de acessibilidade

Clecius Campos
Repórter

Uma plateia com 400 assentos, uma galeria de arte, um auditório, salas de ensaio, salas de reunião, depósito para equipamentos de som e luz, camarins principais e coletivos, elevador, rampas para acessibilidade e um café, distribuídos em três andares na fachada e cinco andares nos fundos, além do subsolo. Este é o conteúdo do projeto arquitetônico e estrutural do Teatro Paschoal Carlos Magno, que está sendo desenvolvido desde 4 de agosto.

O projeto foi apresentado nesta sexta-feira, 27 de agosto, pelo superintendente da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), Toninho Dutra, que salientou as diretrizes que nortearam a concepção do novo teatro. "Queremos um espaço acessível à população e com ambientes multiuso. Um local onde a classe artística possa se reunir, realizar seus ensaios, discutir assuntos de seu interesse e apresentar espetáculos. Tudo isso aliado à acessibilidade." No projeto, todos os espaços são acessíveis por meio de rampa, o que facilitará a entrada de cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Um elevador será instalado no prédio dos fundos, permitindo a facilidade de locomoção para artistas e trabalhadores técnicos.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken