button { margin-top: 1em } .wpnbha.has-more-button button { display: block } .wpnbha .author-avatar, .wpnbha .byline, .wpnbha .cat-links, .wpnbha .posted-on, .wpnbha .tags-links { clip: auto; height: auto; position: relative; width: auto } .wpnbha .cat-links, amp-script .wpnbha .cat-links { display: flex; font-size: .6em; font-weight: 700; margin: 0 0 .5em } .wpnbha .cat-links a, amp-script .wpnbha .cat-links a { text-decoration: none } .wpnbha .cat-links a:hover, amp-script .wpnbha .cat-links a:hover { text-decoration: underline } .wpnbha article .entry-title { font-size: 1.2em } .wpnbha article .entry-meta { font-size: .8em } .wpnbha article .avatar { height: 25px; width: 25px } @media only screen and (min-width:782px) { .wpnbha article .entry-title { font-size: 1.6em } .wpnbha article .avatar { height: 40px; width: 40px } } .wpnbha.ts-3 article .entry-title { font-size: 1em } .wpnbha.ts-3 article .entry-wrapper p, .wpnbha.ts-3 article .newspack-post-subtitle { font-size: .8em } .wpnbha.ts-3 article .entry-meta { font-size: .7em } @media only screen and (min-width:782px) { .wpnbha.ts-3 article .entry-title { font-size: 1.2em } .wpnbha.ts-3 article .avatar { height: 32px; width: 32px } } .wpnbha.ts-2 article .entry-title { font-size: .8em } .wpnbha.ts-2 article .entry-meta, .wpnbha.ts-2 article .entry-wrapper p, .wpnbha.ts-2 article .newspack-post-subtitle { font-size: .7em } @media only screen and (min-width:782px) { .wpnbha.ts-2 article .entry-title { font-size: .9em } .wpnbha.ts-2 article .avatar { height: 28px; width: 28px } } .wpnbha.is-style-borders article { border: solid rgba(0, 0, 0, .2); border-width: 0 0 1px; margin-bottom: 1em; padding-bottom: 1em } .wpnbha.is-style-borders article:last-of-type:not(:first-of-type) { border-bottom: 0 } @media only screen and (min-width:600px) { .wpnbha.is-style-borders.columns-2 article { padding-right: 32px } .wpnbha.is-style-borders.columns-3 article { padding-right: 24px } .wpnbha.is-style-borders.columns-6 article { padding-right: 19.2px } .wpnbha.is-style-borders.columns-2 article { border-width: 0 } .wpnbha.is-style-borders.columns-2 article:nth-of-type(odd) { border-width: 0 1px 0 0 } .wpnbha.is-style-borders.columns-3 article, .wpnbha.is-style-borders.columns-6 article { border-width: 0 } .wpnbha.is-style-borders.columns-3 article:nth-of-type(3n+1), .wpnbha.is-style-borders.columns-3 article:nth-of-type(3n+2), .wpnbha.is-style-borders.columns-6 article:nth-of-type(3n+1), .wpnbha.is-style-borders.columns-6 article:nth-of-type(3n+2) { border-width: 0 1px 0 0 } .wpnbha.is-style-borders.columns-4 article { padding-right: 21.33333px } .wpnbha.is-style-borders.columns-4 article { border-width: 0 } .wpnbha.is-style-borders.columns-4 article:nth-of-type(odd) { border-width: 0 1px 0 0 } .wpnbha.is-style-borders.is-grid article:last-of-type { border: 0 } } @media only screen and (min-width:782px) { .wpnbha.is-style-borders.is-grid article { border-width: 0 1px 0 0 } .wpnbha.is-style-borders.columns-2 article:nth-of-type(2n), .wpnbha.is-style-borders.columns-3 article:nth-of-type(3n), .wpnbha.is-style-borders.columns-6 article:nth-of-type(6n), .wpnbha.is-style-borders.is-grid article:last-of-type { border: 0 } .wpnbha.is-style-borders.columns-4 article:nth-of-type(4n), .wpnbha.is-style-pe="table" tablevalues="0 1">
Notícias

Jovem é preso suspeito de matar pr?prio pai em Juiz de Fora

Gramsci e o Brasil
  • Zona Pink
  • Sexta-feira, 31 de maio de 2019, atualizada às 16h45

    Jovem é preso suspeito de matar próprio pai em Juiz de Fora

    Da redação

    A Polícia Civil desvendou o caso de um empresário desaparecido em Juiz de Fora e prendeu, na noite dessa quinta-feira, 30 de maio, no bairro Alto dos Passos, o filho dele, um jovem, de 24 anos, por ter cometido o crime de homicídio.

    Conforme informações do delegado Luciano Vidal, desde a última sexta-feira, 24, policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia Civil apuravam o desaparecimento do idoso, de 64 anos. “Na verdade, ele foi morto pelo filho. Apuramos o caso, localizamos o corpo e o rapaz confessou o crime”, esclareceu, complementando que ele foi preso em virtude de mandado de prisão expedido pela Justiça, a pedido da autoridade policial.  

    De acordo com o delegado, várias pessoas foram ouvidas e, durante as oitivas, houve incoerência no depoimento do filho do empresário. “Apreendemos o carro dele e foi feito exame de luminol pela perícia, apontando sangue no carro. O rapaz foi ouvido novamente e confessou o homicídio”, explicou. Imagens de câmeras de segurança também auxiliaram nas apurações.

    Investigações apontam que o crime teria ocorrido por conta de uma discussão entre pai e filho, no interior do veículo do rapaz, que resultou na morte do idoso, atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça. “O suspeito foi para uma estrada de terra, em Sarandira, e desovou o corpo da vítima no local. Ontem (quinta), à tarde, localizamos o corpo”, concluiu.

    O jovem foi encaminhado à unidade prisional, onde se encontra à disposição da Justiça.

    Sexta-feira, 31 de maio de 2019, atualizada às 16h45

    Jovem é preso suspeito de matar próprio pai em Juiz de Fora

    Da redação

    A Polícia Civil desvendou o caso de um empresário desaparecido em Juiz de Fora e prendeu, na noite dessa quinta-feira, 30 de maio, no bairro Alto dos Passos, o filho dele, um jovem, de 24 anos, por ter cometido o crime de homicídio.

    Conforme informações do delegado Luciano Vidal, desde a última sexta-feira, 24, policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia Civil apuravam o desaparecimento do idoso, de 64 anos. “Na verdade, ele foi morto pelo filho. Apuramos o caso, localizamos o corpo e o rapaz confessou o crime”, esclareceu, complementando que ele foi preso em virtude de mandado de prisão expedido pela Justiça, a pedido da autoridade policial.  

    De acordo com o delegado, várias pessoas foram ouvidas e, durante as oitivas, houve incoerência no depoimento do filho do empresário. “Apreendemos o carro dele e foi feito exame de luminol pela perícia, apontando sangue no carro. O rapaz foi ouvido novamente e confessou o homicídio”, explicou. Imagens de câmeras de segurança também auxiliaram nas apurações.

    Investigações apon12,7.378z M12,15 c-1.657,0-3-1.343-3-3s1.343-3,3-3s3,1.343,3,3S13.657,15,12,15z M16.804,6.116c-0.596,0-1.08,0.484-1.08,1.08 s0.484,1.08,1.08,1.08c0.596,0,1.08-0.484,1.08-1.08S17.401,6.116,16.804,6.116z" />

    Notícias

    STF afasta Aócio Neves do Senado

    Siga o Acessa.com no Google News
    Quinta-feira, 18 de maio de 2017, atualizada às 9h07343-3,3-3s3,1.343,3,3S13.657,15,12,15z M16.804,6.116c-0.596,0-1.08,0.484-1.08,1.08 s0.484,1.08,1.08,1.08c0.596,0,1.08-0.484,1.08-1.08S17.401,6.116,16.804,6.116z" />
    © 2022 | Todos os direitos reservados ao www.acessa.com. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
    ustavo Perrella, filho de Zezé Perrella.

    PF cumpre mandados nos gabinetes de Aécio, Perrela e Rocha Loures

    Agentes da Polícia Federal estão, desde as 6h15, cumprindo mandados de busca e apreensão nos gabinetes dos senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Zezé Perrela (PMDB-MG) e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR). Os agentes chegaram em seis carros e, neste momento, o acesso ao Anexo 1 do Congresso Nacional está restrito.

    Em seu perfil no Twitter, a assessoria do senador afirmou que "Aécio Neves está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere á relação com o senhor Joesley batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários.

    Com informações da Agência Brasil

    -
    Quinta-feira, 18 de maio de 2017, atualizada às 9h07, atualizada às 11h18

    STF afasta Aécio Neves do Senado e sua irmã é presa em Nova Lima

    Da redação

    O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) sejam imediatamente afastados de seus mandatos parlamentares. A decisão de Fachin se assemelha à tomada pelo ministro Teori Zavascki em 2016, quando foi determinado o afastamento do então deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O ministro também expediu um mandado de prisão preventiva contra Andrea Neves, irmã do senador Aécio, que foi cumprido pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta, 18.

    Ela foi localizada em um condomínio em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Em Belo Horizonte, também são cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Andrea Neves e Aécio Neves e na casa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG). A PF não informa os locais exatos e nem a quantidade da mandados abertos para a capital mineira. Uma fazenda do senador no município de Cláudio, na região centro-oeste de Minas Gerais, é outro alvo dos policiais.

    Paralelamente, no Rio de Janeiro, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em um imóvel de Andrea Neves. A PF recolheu materiais e equipamentos que passarão por perícia. Os gabinetes de Perrela e de Aécio no Senado, em Brasília, também foram alvo de buscas.

    Segundo o empresário Joesley Batista, que fechou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República, ao lado de seu irmão Wesley Batista e outros cinco executivos da JBS, Aécio pediu 2 milhões de reais para supostamente custear a defesa dele na Operação Lava Jato.

    De acordo com O Globo, que revelou a delação premiada nesta quarta-feira, o presidente do PSDB teria dito ao empresário que o valor custearia o trabalho do advogado Alberto Zacharias Toron. A conversa teria durado 30 minutos e foi gravada em um hotel em São Paulo.

    “Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança”, teria dito Joesley ao tucano. “Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho”, teria respondido Aécio, em uma suposta referência a seu primo Frederico Pacheco de Medeiros.

    Ainda segundo a publicação, o dinheiro foi entregue em quatro parcelas de R$ 500 mil a Medeiros pelo diretor de relações institucionais da JBS, Ricardo Saud. Uma das entregas teria sido filmada pela Polícia Federal, ocasião em que Frederico Medeiros teria repassado o dinheiro a Mendherson Souza Lima, secretário do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

    O jornal também informa que a PGR tem indícios de que essa parte do dinheiro não foi destinada ao pagamento do advogado. A PF teria seguido Souza Lima, que fez três viagens de carro a Belo Horizonte para levar a propina. Ele teria remetido os R$ 500 mil à empresa Tapera Participações Empreendimentos Imobiliários, de Gustavo Perrella, filho de Zezé Perrella.

    PF cumpre mandados nos gabinetes de Aécio, Perrela e Rocha Loures

    Agentes da Polícia Federal estão, desde as 6h15, cumprindo mandados de busca e apreensão nos gabinetes dos senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Zezé Perrela (PMDB-MG) e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR). Os agentes chegaram em seis carros e, neste momento, o acesso ao Anexo 1 do Congresso Nacional está restrito.

    Em seu perfil no Twitter, a assessoria do senador afirmou que "Aécio Neves está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere á relação com o senhor Joesley batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários.

    Com informações da Agência Brasil