SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em uma rua escura e deserta, uma Kombi velha está pronta para dar carona a um grupo de adultos. Um homem mascarado e um palhaço maltrapilho conduzem os passageiros por uma rua de paralelepípedos, fazendo todos se chacoalharem. O destino é o Nível 3, uma nova experiência imersiva que promete transportar o público para dentro em um filme de terror.

E os atores não saem mesmo dos personagens, desde a saída do veículo até a chegada a um espaço com cara de abandonado. TokTok, palhaço que comanda a atração ?e fica bravo quando confundem seu nome com TikTok?, dita as regras e conduz o grupo pelo prédio, uma antiga fábrica têxtil em Santo Amaro, na zona sul da capital paulista.

Quem compra a entrada para a atração não sabe com o que irá se deparar. Não é um escape room. Muito menos um labirinto com sustos, como eram as antigas "Noites do Terror" do Playcenter ou o Parque do Terror, no shopping VillaLobos, com monstros a cada esquina. Enquanto estes investem em maquiagens e fantasias bem elaboradas e sustos quase bobos, para atrair famílias, os atores do Nível 3 se escondem sob máscaras surradas e entregam atuações que mexem com a cabeça dos participantes. É uma atração restrita aos maiores de idade.

Sangue falso, barulhos misteriosos de ferramentas e as falas asquerosas dos personagens são algumas das brincadeiras psicológicas com as quais o público precisa lidar durante uma hora de percurso. Uma das regras da organização pede para o visitante levar uma muda de roupa e uma toalha, pois há muita sujeira no local. Tudo isso para testar o pessoal e ver quem desiste no meio do trajeto.

"É uma experiência única no mundo", afirma Cadu Dib, um dos sócios. Ele ainda está por trás de outra atração de terror na cidade, o Abadom, um manicômio esquecido que chegou a ter 9.000 pessoas na fila de espera em 2021, também em Santo Amaro. Aliás, outra regra para passar pelo Nível 3 é ter escapado do Abadom.

Apesar de ter palhaços e máscaras assustadoras, o terror do Nível 3 é mais psicológico. Não por acaso, esse subgênero de terror voltado tem conquistado o público nos cinemas, com produções como "Midssomar", de Ari Aster. O organizador acredita que pessoa se sente dentro de um filme.

Ainda assim, o Nível 3 aposta em uma cenografia escura, com paredes sujas com sangue falso, grades e tapumes. É como se a ambientação colocasse o público dentro dos longas da franquia "Jogos Mortais".

"A gente desenvolveu uma atração baseada a partir dos medos, fobias e temores de mais de 10 mil clientes", afirma Dib. Assim, ele acredita que o Nível 3 vai além de ser mera uma experiência de terror: também é de superação. "Você descobre que pode sair de lá mais forte do que entrou", diz ele, que também cuida da parte do storytelling ?ou seja, do desenvolvimento da história?, da atração.

A entrada custa R$ 120 por pessoa e cada rodada comporta até seis vítimas. Ou seja, é preciso ter certeza de que quer encarar a brincadeira para não sentir que desperdiçou uma grana. Entre 30 e 35% do público desiste do passeio durante o percurso, durante a atração. Para sair, é preciso falar uma palavra de segurança.

Vídeos curtos buscam despertar a curiosidade dos internautas nas redes sociais do Nível 3. Não dá para entender ao certo o que será apresentado, e as pessoas tampouco dão spoilers do passeio nos comentários. O pessoal só fala do medo sentiu ou incentiva o leitor a conhecer o local.

Aberta em outubro, a atração funciona de quinta a domingo a partir das 19h. O organizador afirma que haverá edições anuais, com novos cenários e percursos. A versão atual deve se estender até o meio do 2023.

Há um prêmio para quem sobrevive até o fim da brincadeira: uma medalha colecionável ?e, quem sabe, uma salva de palmas pela superação. "A pessoa vai até ali para se entregar para a experiência, porque hoje em dia as pessoas têm muito medo de fazer isso", afirma Dib.

NÍVEL 3

Quando Qui. a dom., das 19h às 22h

Onde R. Ada Negri, 448

Preço R$ 120

Classificação 18 anos

Instagram @niv3lsp