SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Investigado pelo crime de importunação sexual dentro do BBB 23, MC Guimê foi à delegacia depor no começo da tarde desta segunda-feira (20), no bairro de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Tanto ele quanto Cara de Sapato foram intimados pela Polícia Civil a comparecer ao Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher).

A investigação em torno do caso que aconteceu dentro da sede do reality segue em andamento. Ambos teriam praticado o crime contra a mexicana Dania Mendez, durante uma festa do programa.

O crime de importunação sexual está previsto no artigo 215-A da Lei nº 13.718, que versa sobre "praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro". A pena para o crime pode chegar a cinco anos de reclusão.

Podem ser considerados atos libidinosos práticas que tenham finalidade de satisfazer desejo sexual, tais como apalpar uma pessoa sem o seu consentimento, caso do MC, ou beijar à força, como fez Cara de Sapato com Dania.

Após ser expulso do programa, o funkeiro pediu desculpas pelo que fez. "Estou de coração partido, ainda processando tudo, são muitas informações. Estou muito chateado pelo momento, vocês poderão ver minhas palavras e irei contar sobre tudo isso e reconhecer minhas falhas. Tenho coração humilde e aberto para reconhecer, sei que errei", disse ele.

Já o lutador disse que precisou ver as cenas gravadas no programa para "ressignificar o olhar". "Foi tudo muito conturbado, aconteceu muito rápido e me deixou triste. Sempre prezei pelo bem-estar e nunca me imaginei nessa situação, no momento não percebi que podia estar passando dos limites. Para mim, é um caminho de desconstrução, que não é um botão de liga e desliga", indicou.

TV Globo - Mc Guimê