Paula Medeiros Paula Medeiros 3/12/2010


A Rede Social – filme vai além do Facebook e se aproxima de um contexto mais global

Cena do filmeHoje chega a ser impossível dissociar vida real da virtual. Aliás, essa é uma discussão já vencida. E é exatamente isso que retrata A Rede Social, de David Fincher: a realidade em que todos estão inseridos, de relações superficiais e passageiras, mas aparentemente tão consistentes.

Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg) é um nerd com problemas em se relacionar com outras pessoas.

Depois de romper seu relacionamento com Erica (Rooney Mara), ele vai para casa e, além de difamá-la em seu blog, cria um site em que alunos podem votar na estudante mais atraente de Harvard. O que começou como um mero jogo inocente veio mais tarde dar origem ao site de relacionamento mais cobiçado internacionalmente, o Facebook.

Ajudado pelo amigo brasileiro Eduardo Saverin (Andrew Garfield), Zuckerberg se apropria da ideia dos gêmeos Cameron e Tyler Winklevoss (Arnie Hammer) e usa seus vastos conhecimentos em computação para criar o site TheFacebook, uma rede social em que pessoas podem trocar informações, tornar públicos seus interesses e até conversar entre si. Revoltados pelo plágio, os gêmeos entram com uma ação contra Zuckerberg e isso é só o início.

Baseado no livro "Bilionários por acaso", de Ben Mezrich, o filme conta uma historia verídica, apesar de não confirmada na íntegra pelos verdadeiros personagens envolvidos. Mesmo depois dessas declarações, fica difícil saber o que é verdade e o que é adaptado, uma vez que os atores fizeram um trabalho de destaque. Eisenberg consegue transmitir a aura do jovem nerd, frio e calculista transformado em bilionário aos 23 anos por sua genialidade. Já Garfield comove no papel do moço esforçado, dedicado, preocupado com a imagem que terá diante do pai. Até mesmo Justin Timberlake convence no papel do arrogante Sean Parker, fundador do Napster e visionário dos bilhões de dólares que o Facebook seria capaz de arrecadar.

Longe de ser apenas um filme sobre a criação do maior site de relacionamentos do planeta, o longa compreende bem a atmosfera da última década, transformada por completo pelas novas relações interpessoais ocasionadas por esses sites sociais. Faz também insinuações sobre a figura de Zuckerberg. Como alguém com tantas dificuldades para se envolver com pessoas é capaz de criar o maior site de relacionamentos que já existiu? Talvez essa seja uma forma não tão direta de se dizer que os laços criados na internet são meramente figurativos e que supostamente não existem, senão ali.

As cenas iniciais, marcadas por diálogos ininterruptos sobre assuntos diversos, caracterizam o ritmo intenso do filme, tornando algumas cenas, inclusive, difíceis de acompanhar. Mas o maior objetivo, aparentemente, é fazer uma alusão à realidade do próprio espectador, fazê-lo situar-se exatamente onde está e perceber o tornado de informações e a rapidez que fazem parte de sua vida diária inconscientemente.

Apesar da rapidez com que as informações chegam, Fincher faz uso de marcadores temporais, recurso muito útil não só para o intenso fluxo de diálogos, mas também para filmes com estrutura não-linear em geral, como é o caso de A Rede Social, que mistura o tempo todo passado e presente.
Bem dinâmico, devido às disputas – intelectuais, sentimentais, legais – A Rede Social é filme que tira o fôlego, não por se tratar de uma história real, mas exatamente por ser muito real, por ser o nosso presente. Às vezes estamos tão envolvidos com uma situação que não nos damos conta do quão envolvidos estamos. E é sobre isso que o filme nos faz pensar. Sobre o imediatismo de nossas ações na rede, sobre suas consequências, sobre como um fato localizado pode atingir dimensões inimagináveis, sobre a transformação comportamental da qual fazemos parte e, muitas vezes, nem nos damos conta.

Mais do que um filme revolucionário por sua forma técnica, A Rede Social é, antes de tudo, um retrato de nós mesmos.

Ficha Técnica
The Social Network /A Rede Social
EUA, 2010, 120 minutos
Drama
Direção: David Fincher
Roteiro: Aaron Sorkin
Elenco: Jesse Eisenberg, Andrew Garfield, Arnie Hammer, Justin Timberlake, Rooney Mara

 



Paula Medeiros
é estudante de Comunicação Social com participação em Projetos Cinematográficos.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.