• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Adoção do Enem interfere na preparação dos alunos Como a UFJF vai substituir a primeira fase do vestibular pela nota do Enem, os estudantes estão se preparando para dois tipos diferentes de exame

    Aline Furtado
    Repórter
    10/8/2010

    A menos de três meses da realização das provas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e com a aproximação da data dos vestibulares de final de ano, os estudantes que voltaram às salas de aula nesta semana para cumprir o segundo semestre letivo estão em ritmo de preparação.

    Ainda que a Matriz de Referência para o Enem 2009, definida pelo Ministério da Educação (MEC), esteja sendo adotada no exame que será realizado nos dias 6 e 7 de novembro deste ano, o anúncio de substituição da primeira fase do vestibular da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) pela nota do Enem, feito no final do mês de junho, pegou alunos e professores de surpresa. A mudança fez com que a programação dos cursos preparatórios para o vestibular fosse alterada.

    O coordenador de um colégio da cidade, José Mário Brunelli Sofa, afirma que foi necessária uma reprogramação da situação pedagógica. "Estamos trabalhando, agora, tendo o Enem como foco, destacando habilidades e competências. Em seguida, ou seja, a partir do dia 8 de novembro, quando as provas do exame nacional já terão passado, nosso foco se volta às provas específicas." 

    Já o diretor de ensino médio de outro colégio, Wilson Adolfo Corrêa de Almeida destaca que estão sendo realizadas as aulas normais de redação, além de terem sido incluídas, a cada semana, uma aula de redação corrigida. "Tivemos que aumentar também o número de aulas de Inglês e Espanhol oferecidas." De acordo com ele, em novembro, o conteúdo relacionado ao Enem será encerrado, quando terá início a preparação específica. 

    O estudante Pedro Augusto Mendes de Almeida, que concorre a uma vaga no curso de Odontologia, afirma que o período de desespero já passou. "Quando fiquei sabendo da alteração no processo seletivo da UFJF, tive a sensação de estar estudando em vão, fiquei bem perdido. Mas a readequação da grade de estudos me tranquilizou, embora esteja achando cansativo. E pensar que muda tudo lá em novembro", reflete o aluno.  A estudante Ana Flávia Nogueira Borges, que concorre a uma vaga no curso de Direito, acredita que o momento é para se dedicar ainda mais. "Sinto que entrei na reta final." 

    Para os alunos que demonstram ansiedade, a dica de Almeida é "estudar, estudar e estudar." Ele diz que não adianta reclamar do acúmulo de matéria nem da falta de tempo. "Enquanto o estudante reclama, ele poderia estar se dedicando, ou seja, não dá para perder tempo a esta altura do campeonato."

    Gastos extras

    Para a estudante Naiara Menezes da Silva, candidata a uma vaga no curso de História, a substituição da primeira fase do vestibular da UFJF pelo resultado do Enem representa gasto extra. "Se fosse o modelo convencional, ou seja, o vestibular composto de duas provas, eu desembolsaria apenas uma taxa de inscrição. Assim, foi preciso pagar dois valores. Parece que não, mas pesa no bolso."

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.