• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Controle da ansiedade e da alimentação são importantes para garantir bons resultados no EnemEspecialistas dão dicas para o bom desempenho dos candidatos no dia da prova. Enem ocorrerá nos dias 6 e 7 de novembro

    Isabela Lobo
    Colaboração*
    20/10/2010
    Cursinho pré-vestibular

    O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem se tornado cada vez mais importante na seleção das universidades de todo o país. Em 2010, cerca de 4,6 milhões de alunos farão a prova, que será realizada nos dias 6 e 7 de novembro. Porém, na hora do teste, a ansiedade e o curto tempo podem atrapalhar o desempenho do candidato, que deve estar atento à alimentação. Nesse período, o apoio de familiares e amigos é fundamental.

    É comum que os candidatos fiquem ansiosos antes dos testes. Para diminuir o nervosismo, é importante evitar cobranças por parte de familiares e amigos. "Os familiares precisam entender que se trata de um concurso e não de uma prova de colégio. A reprovação não é anormal", afirma a psicóloga Vivian Werneck. Além disso, conhecer o local da prova e o trânsito pode ajudar o candidato a não enfrentar imprevistos.

    A presença de pais e amigos também pode ser um suporte no dia do teste. Mas só é válida quando o acompanhante passa tranquilidade ao candidato. "É legal ir com alguém da família que esteja calmo. Se não tiver ninguém, o melhor é ir sozinho. A companhia de amigos que estejam na mesma situação pode ser ruim, porque eles podem transmitir a ansiedade", explica Vivian.

    É importante ficar atento para que a ansiedade não atrapalhe o rendimento do aluno. "O estudante que se preparou fica realmente ansioso, mas tudo tem que ser medido", comenta a psicóloga. Sintomas como vômito, sudorese e diarreia não são comuns e demandam atenção médica. Em alguns casos, o uso de medicamentos, como os ansiolíticos, pode ser uma alternativa. "O ideal é fazer acompanhamento psicológico, já que o aluno tem um ano para se preparar para o exame, evitando, assim, o uso de medicamentos", orienta Vivian.

    Alimentação indicada

    A alimentação também pode influenciar de forma direta o desempenho do aluno e a atenção ao que se consome deve começar semanas antes do exame. "Nessa época é interessante uma alimentação mais caseira, com alimentos mais cozidos e assados", explica a nutricionista Wanessa Aquino. A preocupação com a procedência, a higienização e a validade são alguns dos cuidados que devem ser tomados. "É legal evitar o consumo de molhos prontos, maionese, comidas de barraquinhas de rua, tudo o que pode dar problemas ao aluno", completa Wanessa.

    No dia do exame, a alimentação deve ser balanceada, com legumes, arroz, feijão, carne magra e saladas. Refeições pesadas, como feijoada, não devem ser ingeridas porque dificultam a digestão e causam sonolência. "É importante não trocar o almoço por sanduíches e não pular as refeições", orienta a nutricionista.

    É comum que os candidatos levem alimentos para a hora do exame. Segundo a nutricionista, é importante o consumo de líquidos, principalmente o de água. "Chá mate e chá verde são estimulantes e podem deixar o estudante alerta. Mas, mesmo que levem os chás, é legal que façam o consumo de água para se manterem hidratados", explica. Além disso, Wanessa recomenda o consumo de frutas, alimentos com cafeína e barrinhas de cereal.

    Outro ponto importante é evitar o consumo de álcool nos dois dias que antecedem a prova e durante os dias dos testes. "O álcool deixa a sensação de mais disperso, a resposta do corpo fica mais lenta e, em algumas pessoas, pode causar tremedeira, náusea e flacidez nos músculos, por exemplo", afirma Wanessa.

    O exame

    O longo período de duração das provas do Enem, 4h30 no primeiro dia e 5h30 no segundo, e o grande número de questões são algumas das reclamações dos candidatos. "A gente não dá conta de ler tudo", comenta a candidata Thaís Aglio. Thaís tenta o exame pela segunda vez e se diz ansiosa. "Tenho mantido o meu ritmo de estudo e tentado não pensar muito na prova." Patrícia Vieira também faz o exame pela segunda vez. "A prova é muito exaustiva, são muitas questões", comenta.

    Segundo a psicóloga Vivian Werneck é comum que os estudantes não concluam a prova no tempo previsto. "O aluno tem que priorizar as provas que ele tenha mais facilidade e questões que tenham certeza da resposta para garantir pontos. Outra dica é não deixar nada em branco. O chute é uma possibilidade de acerto."

    *Isabela Lobo é estudante do 8º período de Comunicação Social da UFJF.

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.