SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Arábia Saudita fez história ao vencer a Argentina de virada por 2 a 1, na estreia da Copa do Mundo, na manhã de hoje, no estádio Lusail. O arquiteto da estratégia que fez os argentinos terem três gols anulados só na primeira etapa e acabarem a partida com dez impedimentos é o francês Hervé Renard.

Renard teve uma carreira modesta como jogador. Ele era zagueiro e passou por Cannes, Stade Vallauris e Draguignan, sem muito desgaste. Aposentou-se em 1998.

Sua trajetória como treinador se iniciou no Draguignan, onde se aposentou. Após comandar equipes de menor expressão na França, Vietnã e Inglaterra, assumiu sua primeira seleção em 2008, a Zâmbia.

A primeira passagem por Zâmbia acabou em 2010, posteriormente assumiu Angola. Retornou a seleção de Zâmbia em 2011, onde chegou ao primeiro grande momento de sua carreira: conquistou a Copa das Nações Africanas em 2012.

Após o bom trabalho com uma seleção sem muita tradição no continente, Renard foi contratado pelo Sochaux -onde não emplacou- e depois chegou a Costa do Marfim.

Na seleção marfinense voltou a conquistar a Copa das Nações Africanas, em 2015. No mesmo ano assumiu o Lille, mas não repetiu o bom trabalho no clube. Ele assumiu um projeto em Marrocos no ano seguinte, mas não emplacou.

Agora, Renard tem a chance de fazer a Arábia Saudita repetir a sua melhor participação da história em um Mundial: chegar às oitavas de final. A última vez que isso aconteceu foi na Copa de 1994, quando a equipe passou em segundo de seu grupo, que tinha Holanda, Bélgica e Marrocos. Os sauditas foram eliminados nas oitavas após derrota por 3 a 1 para a Suécia.