SÃO PAULO, SP (UOL - FOLHAPRESS) - Em 2014, Patrícia Jordane se tornou a musa da Copa do Mundo por um suposto romance com Neymar. A fofoca alçou a mineira à fama e fez com que ela estampasse a capa da Playboy brasileira e de países como Argentina, México, Polônia e Venezuela.

Na época, o craque entrou com uma ação judicial contra a revista adulta por publicar na capa que Patrícia era a "morena que encantou Neymar", mas não teve sucesso.

"A atitude dele até impulsionou as vendas", disse ela, na época.

Mas por onde ela anda?

Atualmente, a jovem de 29 anos leva uma vida discreta e se recusa a falar sobre a fase de "musa" à imprensa. Ela também apagou recentemente seu perfil no Instagram, em que acumulava centenas de milhares de seguidores.

Uma matéria do Jornal Extra de 2020 conta que Patrícia se mudou para Miami, nos Estados Unidos. Em 2017, ela se casou com um produtor americano chamado Richard Raymond.

De acordo com a publicação, ela também passou a atuar como produtora e lançou uma marca de moda praia, a "Jcrownn".

Em entrevista ao jornal, Patrícia falou sobre a fama de "maria chuteira" que ganhou na época.

"Nunca sobrevivi do nome dele [Neymar]. [...] Eu tinha apoio dos meus pais, que sempre me deram uma vida boa, sempre fui modelo. De todas as ex do Neymar, fui a única que sempre o defendeu e, devido a isso, virei a 'maria chuteira', mas o tempo colocou tudo no seu devido lugar", afirmou.

A fama repentina conquistada na época pode explicar o recente "sumiço" da ex-musa.

"Não estava preparada para tudo aquilo e não tinha noção da proporção do que estava acontecendo. Vivi no meu mundinho e até sumi, me magoei muito com tudo o que lia", disse, na ocasião.