Lucas Soares Lucas Soares 22/06/2015

Os critérios da Conmebol

Sempre fui um crítico da Conmebol (Confederación Sudamericana de Fútbol) em sua forma de punir clubes e jogadores infratores. Com inúmeros casos de brigas épicas em Libertadores, expulsões absurdas e péssimas arbitragens, os responsáveis por gerir o futebol na América do Sul nunca foram exemplos em dar uma punição rigorosa ao que acontecia no esporte em nosso continente.

Eis que, em um momento em que Neymar, ídolo e craque maior da Seleção Brasileira, é expulso na Copa América, acaba punido com quatro jogos de suspensão - número exato de partidas até a final. No mínimo, estranho.

Evidente é que os brasileiros, em geral, não contam com muita simpatia dos colegas de continente. Não falamos a mesma língua deles, temos supremacia política, financeira e geográfica sobre os outros países. Ainda somos superiores na bola, com cinco títulos de campeão do mundo. É uma ostentação só nossa, por enquanto.

Não adianta levantar um milhão de teorias da conspiração para dizer que essa punição foi orquestrada pela confederação. É suspeito que tenha sido, mas nada além disso. Recentemente, vimos o Boca Juniors sendo eliminado da Libertadores por uma atitude de sua torcida, em seu estádio. Um sinalização de que aquela "terra-sem-lei" se tornou disputar uma partida continental acabou. Vamos aguardar os próximos capítulos e polêmicas, para saber se a posição vai ser similar ou se haverá critérios diferentes para outros clubes.

Em tempo: Neymar errou e merece ser punido por isso. Mas a arbitragem errou ao amarelar (e irritar o jogador) em um lance que não fazia nenhum sentido. Já o cartão vermelho foi merecido! O craque, que podia coroar uma temporada perfeita, já não faz parte dos planos na Copa América e já está de férias. Que sirva de lição!


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e pós-graduado em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora. Apaixonado por futebol, repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 22/06/2015

Os critérios da Conmebol

Sempre fui um crítico da Conmebol (Confederación Sudamericana de Fútbol) em sua forma de punir clubes e jogadores infratores. Com inúmeros casos de brigas épicas em Libertadores, expulsões absurdas e péssimas arbitragens, os responsáveis por gerir o futebol na América do Sul nunca foram exemplos em dar uma punição rigorosa ao que acontecia no esporte em nosso continente.

Eis que, em um momento em que Neymar, ídolo e craque maior da Seleção Brasileira, é expulso na Copa América, acaba punido com quatro jogos de suspensão - número exato de partidas até a final. No mínimo, estranho.

Evidente é que os brasileiros, em geral, não contam com muita simpatia dos colegas de continente. Não falamos a mesma língua deles, temos supremacia política, financeira e geográfica sobre os outros países. Ainda somos superiores na bola, com cinco títulos de campeão do mundo. É uma ostentação só nossa, por enquanto.

Não adianta levantar um milhão de teorias da conspiração para dizer que essa punição foi orquestrada pela confederação. É suspeito que tenha sido, mas nada além disso. Recentemente, vimos o Boca Juniors sendo eliminado da Libertadores por uma atitude de sua torcida, em seu estádio. Um sinalização de que aquela "terra-sem-lei" se tornou disputar uma partida continental acabou. Vamos aguardar os próximos capítulos e polêmicas, para saber se a posição vai ser similar ou se haverá critérios diferentes para outros clubes.

Em tempo: Neymar errou e merece ser punido por isso. Mas a arbitragem errou ao amarelar (e irritar o jogador) em um lance que não fazia nenhum sentido. Já o cartão vermelho foi merecido! O craque, que podia coroar uma temporada perfeita, já não faz parte dos planos na Copa América e já está de férias. Que sirva de lição!


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e pós-graduado em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora. Apaixonado por futebol, repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 22/06/2015

Os critérios da Conmebol

Sempre fui um crítico da Conmebol (Confederación Sudamericana de Fútbol) em sua forma de punir clubes e jogadores infratores. Com inúmeros casos de brigas épicas em Libertadores, expulsões absurdas e péssimas arbitragens, os responsáveis por gerir o futebol na América do Sul nunca foram exemplos em dar uma punição rigorosa ao que acontecia no esporte em nosso continente.

Eis que, em um momento em que Neymar, ídolo e craque maior da Seleção Brasileira, é expulso na Copa América, acaba punido com quatro jogos de suspensão - número exato de partidas até a final. No mínimo, estranho.

Evidente é que os brasileiros, em geral, não contam com muita simpatia dos colegas de continente. Não falamos a mesma língua deles, temos supremacia política, financeira e geográfica sobre os outros países. Ainda somos superiores na bola, com cinco títulos de campeão do mundo. É uma ostentação só nossa, por enquanto.

Não adianta levantar um milhão de teorias da conspiração para dizer que essa punição foi orquestrada pela confederação. É suspeito que tenha sido, mas nada além disso. Recentemente, vimos o Boca Juniors sendo eliminado da Libertadores por uma atitude de sua torcida, em seu estádio. Um sinalização de que aquela "terra-sem-lei" se tornou disputar uma partida continental acabou. Vamos aguardar os próximos capítulos e polêmicas, para saber se a posição vai ser similar ou se haverá critérios diferentes para outros clubes.

Em tempo: Neymar errou e merece ser punido por isso. Mas a arbitragem errou ao amarelar (e irritar o jogador) em um lance que não fazia nenhum sentido. Já o cartão vermelho foi merecido! O craque, que podia coroar uma temporada perfeita, já não faz parte dos planos na Copa América e já está de férias. Que sirva de lição!


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e pós-graduado em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora. Apaixonado por futebol, repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.