Matheus Brum Matheus Brum 11/05/2015

Projeção do Brasileirão

Caro (a) amigo (a), nesse final de semana teve início o Campeonato Brasileiro. Por conta dos fracos níveis dos Campeonatos Estaduais, havia uma expectativa enorme para o início do Brasileirão, já que pela primeira vez na temporada, os times que não estão na Libertadores colocariam o que tem de melhor em campo e estariam jogando com adversários, na teoria, à altura.

A primeira rodada passou, e o que ficou, na humilde opinião desse que vos escreve, é o velho futebol pragmático que vimos nos primeiros três meses do ano. Jogos fracos tecnicamente, times que só se propõem a defender e estádios vazios. O maior exemplo disso foi o jogo entre Cruzeiro e Corinthians, que foi levado para Cuiabá-MT, por conta de uma punição à equipe Celeste, e que registrou um público de 11.773 pagantes, para uma renda de R$ 860.100,00. Lembrando que o empresário que convenceu a equipe de Belo Horizonte a jogar lá, pagou R$1 mi ao atual bicampeão brasileiro. Ou seja, houve um prejuízo em uma partida que tinha duas das principais equipes do futebol nacional, que mesmo jogando com seus times "alternativos", reuniam jogadores de destaque do futebol tupiniquim.

Depois de analisar os times nos jogos da Libertadores no meio de semana e as partidas esse final de semana, resolvi fazer uma simulação do Brasileirão 2015. Os resultados dessa primeira rodada foram mantidos. Tentei fazer uma projeção levando em conta a participação dos times brasileiros na Libertadores. Infelizmente, não tive como projetar a Copa do Brasil, pelo fato da competição estar ainda no início, tendo "muita água para rolar debaixo dessa ponte".

Na projeção, coloco o Internacional como Campeão Brasileiro. Você pode me questionar, dizendo que todo ano o Colorado entra com banca de favorito, mas sempre decepciona e fica com o famoso "troféu 7º lugar". Só que nesse anofutebol, especificamente, não vejo uma diferença técnica entre as equipes. Não sabemos até quando o São Paulo vai manter esse nível de atuação, já que o principal motivador dela é o interino Milton Cruz; o Cruzeiro é uma incógnita por conta da reformulação; o Corinthians entrou em uma fase de queda de rendimento, então não se pode cravar que o time será regular ao longo da temporada; o Atlético-MG é irregular por conta das constantes lesões dos principais jogadores, por isso não se pode ter a confiança que o time manterá a regularidade, que é de vital importância para brigar na parte de cima do Brasileiro. Por essas e outras razões, acho que da para o Internacional acabar com o jejum de trinta e seis anos sem o título nacional.

No campo dos rebaixados, Coritiba e Atlético-PR vão para a Segunda Divisão, mostrando o fraco momento do futebol Paranaense. Junto com eles, vão Goiás e Figueirense.
No campo das surpresas, destaco o Sport, que vem mantendo o bom trabalho do técnico Eduardo Baptista, que mesmo com um início de temporada sem grandes resultados, foi bancado pela diretoria e pode fazer um bom Brasileiro.

Penso na Chapecoense como "revelação" do campeonato. É um projeto que vem sendo melhorado e aperfeiçoado ao longo dos últimos anos, evidenciando o bom momento do futebol catarinense. Tem um time "arrumadinho", que pode fazer bonito nesse Campeonato Brasileiro tão nivelado.
Concordam com o campeão, classificados para a Libertadores e rebaixados? No final do torneio, a gente confere quem chegou mais perto nos palpites.

Outros destaques

1º - Pela primeira vez na temporada, o alemão Nico Rosberg subiu ao primeiro lugar do pódio. Depois de fazer a pole, liderou de ponta a ponta e venceu o Grande Prêmio da Espanha. Com o segundo lugar de Lewis Hamilton, o campeonato da uma embolada, com o inglês apenas vinte pontos à frente do alemão (111 a 91). Com mais uma dobradinha, os pilotos das "Flechas de Prata" igualam a um recorde de Senna e Prost. Felipe Massa fez uma boa corrida terminando em sexto, mas o resultado, evidencia a diferença da Willians para os compostos da Ferrari e da Mercedes. Próxima corrida daqui a duas semanas, no tradicional circuito de Monte Carlo, em Mônaco.

2º - Na despedida de Fofão das quadras, o Rio de Janeiro não conseguiu medalhar no Mundial de Clubes de Vôlei, terminando na quarta posição. Nas semi-finais, perdeu para o Dínamo Krasnodar-RUS por 3 sets a 1. Na disputa do terceiro lugar, a equipe de Bernardinho acabou sendo derrotado pelo Volero Zurich-SUI por 3 sets a 0. Fofão se despede com cinco Olimpíadas e três medalhas (dois bronzes e um ouro), seis títulos do Grand Prix, um ouro no Pan de Winnipeg 1999, dois vice-campeonatos mundiais, cinco títulos da Superliga, uma Liga dos Campeões e um Mundial. O vencedor do torneiro foi o Eczacibasi-TUR que venceu o Dinamo Krasnodar por 3 sets a 1.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.

Matheus Brum Matheus Brum 11/05/2015

Projeção do Brasileirão

Caro (a) amigo (a), nesse final de semana teve início o Campeonato Brasileiro. Por conta dos fracos níveis dos Campeonatos Estaduais, havia uma expectativa enorme para o início do Brasileirão, já que pela primeira vez na temporada, os times que não estão na Libertadores colocariam o que tem de melhor em campo e estariam jogando com adversários, na teoria, à altura.

A primeira rodada passou, e o que ficou, na humilde opinião desse que vos escreve, é o velho futebol pragmático que vimos nos primeiros três meses do ano. Jogos fracos tecnicamente, times que só se propõem a defender e estádios vazios. O maior exemplo disso foi o jogo entre Cruzeiro e Corinthians, que foi levado para Cuiabá-MT, por conta de uma punição à equipe Celeste, e que registrou um público de 11.773 pagantes, para uma renda de R$ 860.100,00. Lembrando que o empresário que convenceu a equipe de Belo Horizonte a jogar lá, pagou R$1 mi ao atual bicampeão brasileiro. Ou seja, houve um prejuízo em uma partida que tinha duas das principais equipes do futebol nacional, que mesmo jogando com seus times "alternativos", reuniam jogadores de destaque do futebol tupiniquim.

Depois de analisar os times nos jogos da Libertadores no meio de semana e as partidas esse final de semana, resolvi fazer uma simulação do Brasileirão 2015. Os resultados dessa primeira rodada foram mantidos. Tentei fazer uma projeção levando em conta a participação dos times brasileiros na Libertadores. Infelizmente, não tive como projetar a Copa do Brasil, pelo fato da competição estar ainda no início, tendo "muita água para rolar debaixo dessa ponte".

Na projeção, coloco o Internacional como Campeão Brasileiro. Você pode me questionar, dizendo que todo ano o Colorado entra com banca de favorito, mas sempre decepciona e fica com o famoso "troféu 7º lugar". Só que nesse anofutebol, especificamente, não vejo uma diferença técnica entre as equipes. Não sabemos até quando o São Paulo vai manter esse nível de atuação, já que o principal motivador dela é o interino Milton Cruz; o Cruzeiro é uma incógnita por conta da reformulação; o Corinthians entrou em uma fase de queda de rendimento, então não se pode cravar que o time será regular ao longo da temporada; o Atlético-MG é irregular por conta das constantes lesões dos principais jogadores, por isso não se pode ter a confiança que o time manterá a regularidade, que é de vital importância para brigar na parte de cima do Brasileiro. Por essas e outras razões, acho que da para o Internacional acabar com o jejum de trinta e seis anos sem o título nacional.

No campo dos rebaixados, Coritiba e Atlético-PR vão para a Segunda Divisão, mostrando o fraco momento do futebol Paranaense. Junto com eles, vão Goiás e Figueirense.
No campo das surpresas, destaco o Sport, que vem mantendo o bom trabalho do técnico Eduardo Baptista, que mesmo com um início de temporada sem grandes resultados, foi bancado pela diretoria e pode fazer um bom Brasileiro.

Penso na Chapecoense como "revelação" do campeonato. É um projeto que vem sendo melhorado e aperfeiçoado ao longo dos últimos anos, evidenciando o bom momento do futebol catarinense. Tem um time "arrumadinho", que pode fazer bonito nesse Campeonato Brasileiro tão nivelado.
Concordam com o campeão, classificados para a Libertadores e rebaixados? No final do torneio, a gente confere quem chegou mais perto nos palpites.

Outros destaques

1º - Pela primeira vez na temporada, o alemão Nico Rosberg subiu ao primeiro lugar do pódio. Depois de fazer a pole, liderou de ponta a ponta e venceu o Grande Prêmio da Espanha. Com o segundo lugar de Lewis Hamilton, o campeonato da uma embolada, com o inglês apenas vinte pontos à frente do alemão (111 a 91). Com mais uma dobradinha, os pilotos das "Flechas de Prata" igualam a um recorde de Senna e Prost. Felipe Massa fez uma boa corrida terminando em sexto, mas o resultado, evidencia a diferença da Willians para os compostos da Ferrari e da Mercedes. Próxima corrida daqui a duas semanas, no tradicional circuito de Monte Carlo, em Mônaco.

2º - Na despedida de Fofão das quadras, o Rio de Janeiro não conseguiu medalhar no Mundial de Clubes de Vôlei, terminando na quarta posição. Nas semi-finais, perdeu para o Dínamo Krasnodar-RUS por 3 sets a 1. Na disputa do terceiro lugar, a equipe de Bernardinho acabou sendo derrotado pelo Volero Zurich-SUI por 3 sets a 0. Fofão se despede com cinco Olimpíadas e três medalhas (dois bronzes e um ouro), seis títulos do Grand Prix, um ouro no Pan de Winnipeg 1999, dois vice-campeonatos mundiais, cinco títulos da Superliga, uma Liga dos Campeões e um Mundial. O vencedor do torneiro foi o Eczacibasi-TUR que venceu o Dinamo Krasnodar por 3 sets a 1.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.

-
Matheus Brum Matheus Brum 11/05/2015

Projeção do Brasileirão

Caro (a) amigo (a), nesse final de semana teve início o Campeonato Brasileiro. Por conta dos fracos níveis dos Campeonatos Estaduais, havia uma expectativa enorme para o início do Brasileirão, já que pela primeira vez na temporada, os times que não estão na Libertadores colocariam o que tem de melhor em campo e estariam jogando com adversários, na teoria, à altura.

A primeira rodada passou, e o que ficou, na humilde opinião desse que vos escreve, é o velho futebol pragmático que vimos nos primeiros três meses do ano. Jogos fracos tecnicamente, times que só se propõem a defender e estádios vazios. O maior exemplo disso foi o jogo entre Cruzeiro e Corinthians, que foi levado para Cuiabá-MT, por conta de uma punição à equipe Celeste, e que registrou um público de 11.773 pagantes, para uma renda de R$ 860.100,00. Lembrando que o empresário que convenceu a equipe de Belo Horizonte a jogar lá, pagou R$1 mi ao atual bicampeão brasileiro. Ou seja, houve um prejuízo em uma partida que tinha duas das principais equipes do futebol nacional, que mesmo jogando com seus times "alternativos", reuniam jogadores de destaque do futebol tupiniquim.

Depois de analisar os times nos jogos da Libertadores no meio de semana e as partidas esse final de semana, resolvi fazer uma simulação do Brasileirão 2015. Os resultados dessa primeira rodada foram mantidos. Tentei fazer uma projeção levando em conta a participação dos times brasileiros na Libertadores. Infelizmente, não tive como projetar a Copa do Brasil, pelo fato da competição estar ainda no início, tendo "muita água para rolar debaixo dessa ponte".

Na projeção, coloco o Internacional como Campeão Brasileiro. Você pode me questionar, dizendo que todo ano o Colorado entra com banca de favorito, mas sempre decepciona e fica com o famoso "troféu 7º lugar". Só que nesse anofutebol, especificamente, não vejo uma diferença técnica entre as equipes. Não sabemos até quando o São Paulo vai manter esse nível de atuação, já que o principal motivador dela é o interino Milton Cruz; o Cruzeiro é uma incógnita por conta da reformulação; o Corinthians entrou em uma fase de queda de rendimento, então não se pode cravar que o time será regular ao longo da temporada; o Atlético-MG é irregular por conta das constantes lesões dos principais jogadores, por isso não se pode ter a confiança que o time manterá a regularidade, que é de vital importância para brigar na parte de cima do Brasileiro. Por essas e outras razões, acho que da para o Internacional acabar com o jejum de trinta e seis anos sem o título nacional.

No campo dos rebaixados, Coritiba e Atlético-PR vão para a Segunda Divisão, mostrando o fraco momento do futebol Paranaense. Junto com eles, vão Goiás e Figueirense.
No campo das surpresas, destaco o Sport, que vem mantendo o bom trabalho do técnico Eduardo Baptista, que mesmo com um início de temporada sem grandes resultados, foi bancado pela diretoria e pode fazer um bom Brasileiro.

Penso na Chapecoense como "revelação" do campeonato. É um projeto que vem sendo melhorado e aperfeiçoado ao longo dos últimos anos, evidenciando o bom momento do futebol catarinense. Tem um time "arrumadinho", que pode fazer bonito nesse Campeonato Brasileiro tão nivelado.
Concordam com o campeão, classificados para a Libertadores e rebaixados? No final do torneio, a gente confere quem chegou mais perto nos palpites.

Outros destaques

1º - Pela primeira vez na temporada, o alemão Nico Rosberg subiu ao primeiro lugar do pódio. Depois de fazer a pole, liderou de ponta a ponta e venceu o Grande Prêmio da Espanha. Com o segundo lugar de Lewis Hamilton, o campeonato da uma embolada, com o inglês apenas vinte pontos à frente do alemão (111 a 91). Com mais uma dobradinha, os pilotos das "Flechas de Prata" igualam a um recorde de Senna e Prost. Felipe Massa fez uma boa corrida terminando em sexto, mas o resultado, evidencia a diferença da Willians para os compostos da Ferrari e da Mercedes. Próxima corrida daqui a duas semanas, no tradicional circuito de Monte Carlo, em Mônaco.

2º - Na despedida de Fofão das quadras, o Rio de Janeiro não conseguiu medalhar no Mundial de Clubes de Vôlei, terminando na quarta posição. Nas semi-finais, perdeu para o Dínamo Krasnodar-RUS por 3 sets a 1. Na disputa do terceiro lugar, a equipe de Bernardinho acabou sendo derrotado pelo Volero Zurich-SUI por 3 sets a 0. Fofão se despede com cinco Olimpíadas e três medalhas (dois bronzes e um ouro), seis títulos do Grand Prix, um ouro no Pan de Winnipeg 1999, dois vice-campeonatos mundiais, cinco títulos da Superliga, uma Liga dos Campeões e um Mundial. O vencedor do torneiro foi o Eczacibasi-TUR que venceu o Dinamo Krasnodar por 3 sets a 1.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras", estagiário da Rádio CBN Juiz de Fora e editor e apresentador do programa Mosaico é nascido e criado em Juiz de Fora.